Salada de Acelga

7 de maio de 2012

Segunda feira, que delicia este clima de pandemônio no ar. Semana passada teve feriado, você tava feliz, eu tava animada porque ia ficar numa boa em casa de mantinhas. Mas hoje não, hoje para muitas pessoas é um dia das trevas, porque hoje é o dia internacional de começar dietas (que acabarão amanhã, claro).

Todo mundo enfia o pé na jaca (gente que nojo, tira o pé daí) o final de semana inteiro, você comeu o dobro com a desculpa do ‘ai no frio me dá uma fome’ ou se mora em São Paulo foi confraternizar com os mendigos neste evento chamado Virada Cultural (gente brincadeira tá? Tenho até alguns amigos que vão e ficam felizes, tipo a linda da Maria Eugênia e meu irmão hipster).

Então hoje eu não vou dar receita de fritura, não vou falar de chocolate, muito menos da reinvenção da pólvora transformada num croquete! Vou ajudar você a ficar em forma e a cuidar do seu lindo corpinho dançante, com uma receita de uma salada que fisgou até a pessoa mais chata que eu conheço: eu.

Não como saladas. Só como saladas se elas não tiverem alface, não tiverem talos de qualquer espécie vegetal, não tiverem tomates, não tiverem ervilhas enlatadas, tiverem batata palha, não tiverem iogurte… é complicado. Basicamente eu só como beterraba e grão de bico e foi assim durante toda a minha existência, até uns dois anos atrás quando meu padrasto fez essa salada simples e fácil, porém deliciosa e apaixonante:

  • ½ pé de acelga (pode fazer inteira também, mas as acelgas de hoje em dia estão gigantes);
  • 10 col. de sopa de azeite;
  • ½ col. de sopa de óleo;
  • 2 col. de sopa de alho picadinho;
  • 2 col. de sopa de gengibre picadinho;
  • 1 col. de café de sal;
  • 10 col. de sopa de vinagre.

Ou seja, 3 reais né galera, hahahahaha. Essa saladinha é muito comida do dia a dia, portanto você vai adaptar o modo de fazer de acordo com as suas possibilidades de tempo e necessidades de suprir frescuras.

O meu padrasto, homem que eu invejo os dotes culinários, corta todos os pedaços de acelga exatamente do mesmo tamanho, já que ele os dispõe em pé e alinhados, prensados em um recipiente de tamanho exato à quantia de folhas. Eu jogo tudo num pote.

O meu padrasto pica cabeças de alho com a ponta da faca e descasca o gengibre para picá-lo do mesmo tamanho do alho, é impossível identificar o que é o que, de tanto capricho. Eu faço com alho picado industrialmente e ralo o gengibre com a casca e tudo, direto na frigideira.

Esses fatores não fazem a minha salada ficar pior, sabe. A dele fica muito mais bonita, óbvio. Mas eu não tenho vergonha de servir a minha versão para as visitas, porque sei que o sabor vai perdoar toda a minha falta de estética: essa salada é perfeita!

Então é isso, corta a acelga e joga a parte que é só talo no lixo, mas deixa a parte mais suave dos talos na salada, pra ter umas coisas mais crocantes.

Esquenta uma frigideira e frita o gengibre com azeite com óleo, quando tiver começando a dourar coloca o alho também. Salpica todo o sal na salada sem nada (parece muito sal, eu sei, mas essa salada é boa bem salgadinha) e joga por cima o azeite quente com os pedacinhos dourados de gengibre e alho.

Pronto? Joga o vinagre por cima, dá uma mexida de leve e é só comer.

Saudável, barata e deliciosa desse jeito… não tem motivo pra você escapar. Sabe uma salada fácil e gostosa para o dia a dia? Fez a minha? Me conta tudo, beijo <3

20 Comentários sobre Salada de Acelga