Sainte Marie Gastronomia

5 de maio de 2015

É inegável que a comida do Sainte Marie Gastronomia é a melhor árabe que já comi. Mas será que um bom restaurante é feito apenas de comida?? Eu acho que não.

No último sábado fui com o Raoni e com o Rafa, meu melhor amigo, realizar esse pequeno sonho gastronômico. Me apaixonei pela ideia de comer nesse restaurante por causa de um cara meio foodie que eu sigo no insagram, o Fábio Moon (@fabmoon). Na sua conta pessoal, dedicada quase que exclusivamente a falar sobre restaurantes, existem dicas muito legais de lugares para comer e pratos pra pedir, eu já fui em muitos lugares porque ele indicou nas legendas! E faltava o Sainte Marie, que ele vai tantas vezes que tenho a impressão que ele mora na mesma rua, rs.

O que nos fez demorar tanto pra conhecer o Sainte Marie foi sua localização, porque ele fica longe da minha, casa… Tipo uma hora longe de carro, o que parece pouco tempo quando você começa a comer os pratos. Por mais que sábado seja o dia mais cheio e impossível, era a nossa única alternativa, já que o Rafa trabalha em uma agência durante a semana. Se a sua agenda permitir, vá durante a semana, de preferência segunda, terça ou quarta, porque de sábado o lugar realmente fica impossível.

Nossa mesa demorou 1h40 para ficar sair, era uma fila interminável de pessoas debaixo do sol, em uma rua residêncial. Eu não fotografei o ambiente porque ele estava lotado e eu não curto tirar fotos de pessoas desconhecidas sem que elas saibam, mas se você quiser ver melhor o local, eu mostrei um pouquinho no meu vlog da semana (clique aqui para ver). Basicamente é uma vendinha com duas portas, muitas mesas de plástico e um estacionamento pra uns 10 carros bem em frente, então esperamos nossa vez no meio dos carros. Vai parecer loucura, mas eu gosto de esperar coisas e não ligo de ter que esperar mesa, pra mim é um bom sinal, significa que a comida vale a pena, que o restaurante é bem movimentado! Além do mais dava pra ficar bebendo cervejas enquanto estávamos na espera e eu posso esperar realmente muito tempo se você me deixar tomar cervejas nesse período, então me saí bem por essas quase duas horas. Quem tem sorte também ganha a cortesia de coalhada seca e pão sírio torrado durante a espera, mas não foi o nosso caso.

Quando a nossa mesa saiu ficamos radiantes, impossível não ficar numa situação dessas, né? Ela era realmente pequena pra 3 pessoas e batia bastante sol, mas sinceramente não me abalei muito, amo comer em muitos lugares com ambientação pior hahaha. Dentro do salão, havia uma placa indicando que alí era a ~fofolãndia~ e de cara já amei isso! Quem segue o chef e proprietário no instagram com certeza já percebeu que o cara é bem excêntrico e que tem um vocabulário bem próprio, o que pra mim deixava a coisa mais legal ainda. No cardápio a história se estendia, cheio de brincadeirinhas sutis e fofocoisas espalhadas nas descrições dos prátos. Eu fotografei com o meu fofocelular algumas páginas, pra vocês terem uma noção das fofocomidas e dos fofopreços… Isso vicia, né?

Deixando a fofura um pouco de lado, achei os preços meio altos em algumas situações, mas tudo justificado pela popularidade do local e qualidade dos ingredientes. O prato do Raoni chegou primeiro, um quibe cru muito bonito e vermelhinho, que fez com que até a comida mais cara tivesse um custo-benefício compreensível pra mim. Eu nunca experimentei um quibe cru tão perfeito em toda a minha vida!

Lindo, né? Realmente fofoquibe, nunca vou esquecer do seu gostinho. Pela primeira vez um restaurante fez jus ao nosso imaginário de que comida crua tem que chegar rápido, porque em questão de 5 minutos ele estava servido, amamos! Porém, foi a única coisa, porque o serviço que recebemos a seguir foi sofrível e sinceramente fez com que todos os aspectos incríveis da comida do Sainte Marie ficassem pequenos perante o tamanho descaso com os clientes.

Depois de esperar bastante, recebi o meu tabule, porque pra mim ele forma uma dupla tão deliciosa com o quibe que nada é capaz de superar! Esse é diferente de todos que eu já comi, todos os pedacinhos são bem pequenos e apesar disso a textura de todos os ingredientes foi preservada, delicioso! Ele também não é muito ácido e bem sem azeite à mesa, achei interessante, porque dá pra identificar melhor o sabor de cada coisa. Amei, sem falar que a porção é bem generosa por R$ 23.

Em seguida veio à mesa humus e coalhada seca também, sem dúvida da melhor qualidade! Eu sou muito fã dessas pastas árabes, preciso comer pelo menos uma vez por semana senão tenho crises de abstinência, mas definitivamente nunca tinha comido algo assim! Elas são tão leves e a textura é tão perfeita que dá vontade de só pedir isso pelo resto da refeição… E pra isso eu teria que pedir bastante, porque elas são bem pequenas, na minha opinião, individuais. Antes de entrarmos nos pratos principais pedimos algumas esfihas de entrada, porque eu queria experimentar o máximo possível do cardápio. Fui de carneiro com pistache e o Rafa de queijo com zaatar, que definitivamente é a mais gostosa! A de carneiro é boa, mas eu não pediria de novo caso voltasse no restaurante, o zaatar rouba a cena com certeza. O Raoni pediu um quibe frito comum pra experimentar e além de gigante e realmente fofo, é o mais bem temperadinho que já comi, perfeito. O preço de salgados assim é muito bom, o quibe custa R$ 6, a esfiha de sabores comuns tipo essa de zaatar R$ 5,50 e a de carneiro R$ 10,50.

O prato principal foi uma decisão difícil, porque tinha muita coisa que eu tinha visto no instagram do Fábio e queria experimentar, fiquei uns 10 minutos escolhendo hahaha o que até que foi rápido, afinal depois fiquei uma hora esperando os pedidos chegarem, né? O Rafa pediu o prato acima, um moussaka de cordeiro bem gostoso, porém levemente superfaturado, né. Nunca comi essa receita em outros restaurantes então não sei comparar, mas foi a primeira vez que provei e achei uma delícia. Sem falar que é gigante, ele nem conseguiu comer tudo, teve que levar pra viagem mais da metade.

Eu pedi o quibe de forno, porque já tinha visto muitos blogs falando bem dele e como amo quibe de forno, queria experimentar. Sinceramente não amei, não pediria de novo nem recomendaria, ele é muito adocicado e a cebola de cima tem sabor mais marcante que o do quibe… Eles têm um outro no cardápio que chama quibe montado (vai quibe assado, quibe cru, homus, coalhada seca e tabule) que parece mais interessante, é que como eu já tinha pedido todos esses ingredientes da receita individualmente, achei que seria legal provar só o quibe, mas me enganei, rs.

O Raoni pediu a shawarma, afinal de contas até no Japão ele come shawarma, ele ama muito esse tipo de sanduíche! A do Sainte Marie é imensa, a maior que já vimos na nossa vida, então o custo-benefício é muito bom, porque o preço dela é legal também. Vem bastante carne de carneiro e o ponto dela é perfeito, porém falta tempero… Meio que ela não tem gosto de nada e o molho que acompanha não é exatamente o molho de shawarma mais gostoso que já provamos, ele é bem amargo. Mais um prato que veio metade pra casa, impossível comer isso tudo depois de experimentar outras comidinhas do cardápio hahahaha. Nem preciso falar que exageramos nos pedidos, né? Mas depois de esperar 2h pra conseguir a mesa, acho difícil alguém conseguir conter as expectativas.

Por último foi a hora de escolher as sobremesas! As opções gostosas sem chocolate já tinham acabado, então o Raoni não pediu e eu e o Rafa nos jogamos na famosa mousse de chocolate do Sainte Marie… Ou melhor, tentamos, né. Fizemos o pedido e depois de 30 minutos fizemos de novo, para uma segunda pessoa que disse que o primeiro pedido não havia sido feito. Depois de mais 30 minutos cobramos as mousses de novo e recebemos uma resposta extremamente grosseira de um dos funcionários (a terceira grosseria da tarde por parte do staff, mas não a última também :/) e então finalmente desistimos. No caixa nos informaram que seria possível levar a sobremesa pra viagem, já que eles vendem ela em potes pra quem prefere comer em casa, então aceitamos pra não deixar de experimentar esse doce tão famoso. Comi agora há pouco, antes de escrever esse post e era gostoso sim, mas não supera vários mousses que já comi na vida, R$ 19 tá bem caro.

O tal mousse na fanpage do Sainte Marie

No fim das contas acho que foi uma experiência meio decepcionante, sabe? Não pela comida, porque realmente é ainda melhor do que tudo que me falaram que era, os pratos são realmente perfeitos! Mas acho que depois de esperar 2h pra sentar eu gostaria de conseguir comer e aproveitar o momento, ser bem atendida. Como era visível o desespero dos atendentes, eu super evitei falar com eles e em  nenhum momento me estendi muito nas informações que pedia, mas ainda assim eles foram grossos, por duas vezes senti que o papo estava meio debochado e a comida demorou muito mais do que eu acho aceitável pra chegar à mesa… Tanto que algumas coisas que eu pedi e que realmente gostaria de experimentar, nunca chegaram e eu acabei desistindo por causa do descaso. Isso tudo, pagando uma conta de R$ 350 para 3 pessoas no fim do almoço (além das comidinhas citadas no post também pedimos 2 cervejas e 3 cocas), que entre esperas e esperas, durou 5h30. Pra mim, faltou fofura no atendimento da ~fofolândia~ e por esses motivos não tenho previsão de voltar ao Sainte Marie, por mais deliciosa que a comida de lá seja. O Habib Ali pode não trabalhar com ingredientes tão perfeitos quanto os do Sainte Marie e pode ser ainda menos bonitinho, mas além da comida lá ser quase tão deliciosa, o atendimento é bem mais preciso e gentil.

  • Sainte Marie Gastronomia
  • Rua Dom João Batista da Costa, 70 – Jardim Taboão – São Paulo – SP Telefone: (11) 3501 7552
  • De segunda a sexta 10h – 20h / Sábado 10h – 19h / Domingo fechado
  • Obs.: O almoço é servido de segunda a sexta, 12h00 às 15h00; sábado e feriado, 12h00 às 17h30.

Acho que é o tipo de lugar que vale a pena ir uma vez na vida, principalmente se você também ama comida árabe e tem disponibilidade para fazer esse passeio de segunda a quarta! Senão, vai preparado pra gastar bastante tempo e principalmente paciência, porque os atendentes não são tão apaixonados pelo restaurante quanto o dono… Acho que era isso que faltava avisar nas resenhas do Sainte Marie que eu tinha lido até então. Mais alguém já foi comer lá? Tem alguma coisa que eu não pedi e é incrível? Deixem nos comentários! Espero que tenham gostado do post, mil beijos e até amanhã <3

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube – Viber

9 Comentários sobre Sainte Marie Gastronomia