Restaurante Yogi

Gente, o que foi essa semana chata e insignificante na vida da sociedade brasileira? Os dias duraram 48 horas, as noites 5 minutos, o programa da Ana Maria Braga 15 e meus biscoitos 2. Finalmente acabou! Adoro viver mas nos últimos 5 dias não foi uma tarefa fácil. Mas vamos melhorar porque a dica de hoje é um restaurante cheio de amor pra você almoçar amanhã e se sentir especial.

Conhecí essa jóia do PF coreano em uma daquelas visitas que já estão se tornando habituais ao Bom Retiro. Ainda vejo bastante gente falando que vai passear na Liberdade e daí surge a dúvida: pra que? Não dá nem pra enumerar os motivos de não ir ao bairro japonês e trocar essa maratona das filas pelo tranquilo e contente bairro coreano, o restaurante Yogi é só um deles.

A primeira vez que almocei lá, foi na verdade a minha primeira ída ao Bom Retiro… A gente tava muito perdido. Fico muito feliz de ter aprendido a andar lá e saber onde fica as coisas, adoro essa coisa de exercer o direito de ir e vir sem pedir informação. Paramos o carro bem na frente e a simplicidade do local me lembrou o restaurante japonês favorito da minha família. É bem coisa feita pela mamãe mesmo, então se você quer um ambiente luxuoso não vai rolar, mas se não se importa com isso e curte uma família feliz no comando de um fogão tradicional, vamos nessa.

Como eu e a minha família não entendemos coreano, precisamos pedir ajuda para o dono do restaurante, que também cobra e atende as mesas, além de conversar, explicar tudo e ser um querido. No começo ele ficou meio receoso em oferecer receitas coreanas para nós, mas acho que percebeu o grande amor que nutrimos por kimchi e indicou o bibimbap, que apesar de ser a receita mais famosa deles, eu nunca tinha comido. Sempre escolho opções mais exóticas ou até mesmo esquisitas quando vou comer fora, acho que a alegria de passear é essa.

Ficamos petiscando nabo em conserva e kimchi, enquanto o nosso pedido ficava pronto, mas não demorou nem 10 minutos, a moça é rápida. Todos nós pedimos a mesma coisa, porque criatividade é assim, né? O valor de cada bibimbap com os acompanhamentos, é de R$ 17, barato pra caramba, ainda mais se a gente for considerar o tamanho da porção.

Eu sabia que tinha que misturar tudo, afinal a tradução literal do nome seria “arroz mexido” só que na hora descobri, que eu sou meio desengonçada pra isso hahahaha, então o senhor que trabalha lá me ajudou, ajudou a todos nós e foi incrível.

É um mexidinho de arroz, pasta de pimenta, broto de soja, carne moída, ovo frito e alguns outros vegetais, ou seja, uma comida bem simples, com cara de dia a dia mesmo. Mas é tão cultural que eu precisava experimentar!

Depois de comer a gente ficou tanto tempo conversando com o dono do restaurante que até fizemos amizade, ele explicou vários truques para o preparo do kimchi e até algumas outras receitas, passo-a-passo, é um homem muito gentil e simpático e sem dúvidas, esse é o diferencial do estabelecimento dele.

Se você gosta de experimentar comidas diferentes ou até mesmo gosta de K-Pop e tem curiosidade pelo restante da cultura coreana, mas não quer comer nada muito diferente, esse é um bom pedido e os valores muito acessíveis.

Mas cuidado, bibimbap é uma comida extremamente apimentada, então se você não está acostumado, prefira outros pratos ou até mesmo retire sutilmente uma parte da sua pasta de pimenta do prato antes de misturar e comer. Eu acho meio falta de educação alterar o tempero da comida que alguém fez com tanta dedicação, mas minha mãe faz isso de uma maneira discreta e consegue comer em todos os restaurantes que a gente frequenta. Com jeitinho, dá pra fazer tudo nessa vida!

O restaurante Yogi fica quase em frente ao Uri Omma Kimtchi, seu endereço é:

Rua Silva Pinto, 450 – Bom Retiro, São Paulo, SP.

Ótimo fim de semana para vocês e até segunda-feira, divirtam-se bastante e quem comer coisa gostosa… Tira foto pra mim <3

1 Comentário sobre Restaurante Yogi