Children e Por Favor Cuide da Mamãe

Semana passada, assistimos um filme que há muito tempo me indicavam e eu não achava em lugar algum. Achei…. No HD da televisão da minha mãe, ou seja não tenho exatamente uma dica de locadora, mas sei que a internet deve ajudar vocês, meio que ilegalmente hahahahah.

Tem três fatores que me atraem muito em filmes: ser um drama, ser coreano e ser um fato real, portanto ‘Children‘ foi um prato cheio, cuidado chorões.

 O filme começa mostrando 5 crianças coreanas fofinhas e educadas, saindo de casa para brincar de caçar rãs. Elas vão para o bosque das redondezas e… Desaparecem.

A narrativa do filme gira em torno de um produtor de TV meio malvado, ele fez um documentário sobre alces que morrem de fome em seu habitat natural, porém os alces só morriam porque ele tirava toda a comida deles, hahahaha (não é engraçado, ok). Então ele foi transferido para uma emissora bem menor, numa cidade de interior, que ~por coincidência~ é a cidade onde as crianças desapareceram, tanto que ele resolve investigar profundamente o caso, pra ver se bomba com um documentário não tão maldito dessa vez.

O produtor de TV conhece um professor universitário muito importante e conceituado, que tem várias teorias e estudos sobre possíveis resoluções para o caso das crianças, mas ele era discreto e ficava na dele, então o produtor de TV precisou se esforçar pra caramba até convencê-lo a levar suas hipóteses a frente e fazer denuncias para a polícia.

Gente que impressionante! Não tem como adivinhar o desfecho desse filme mesmo, o produtor é muito inteligente, o professor também e eles te convencem demais, você nunca sabe quem está certo e não faz idéia do que aconteceu até que de fato o filme mostre. Recomendo muito porque prende demais a sua atenção e ainda pode virar um super assunto no seu dia a dia, afinal além de ser baseado em um triste caso real, você acaba aprendendo várias coisas sobre a legislação coreana… que é meio maluca.

Não vou contar o final do filme, claro. Mas o que mais me chocou, com certeza foi o fato dos ossos das crianças só terem sido encontrados 10 anos após a morte delas, quando seus pais finalmente tiveram resposta sobre o caso. Infelizmente o responsável por todo ocorrido e tragédia não foi preso e ficou numa boa, mas é uma historia muito impressionante e sensibilizadora, com certeza um filme excelente.

Outra indicação que eu tenho pra fazer hoje é o livro “Por favor cuide da mamãe”, que também fala sobre um desaparecimento, também ocorrido na Coréia do Sul. Com certeza um dos lançamentos mais envolventes e que me despertou curiosidade de imediato, simplesmente fiquei muito curiosa e me senti envolvida pela trama, que é ~delicadamente dramática~ e curiosa ao mesmo tempo.

 

Trata-se da historia de Park Sonyo, uma senhorinha de 69 anos e mãe de cinco filhos. Quando ela chega em Seul para visitá-los, saindo de sua aldeia com o marido, com quem é casada há mais de 50 anos, ela é deixada para trás no meio da bagunça lotada estilo praça da Sé as 18h, em uma plataforma da estação de metrô. Como o marido relapso sempre teve mania de deixar a esposa pra trás e ir andando, ele não percebeu a ausência dela, tadinha. Essa é a última vez em que Sonyo é vista. Seus familiares então começam a procura-la freneticamente, o que se transforma em uma exploração emocional cheia de remorso, já que o passar dos capítulos nos deixa a mensagem que de fato, nenhum dos familiares tão próximos a ela, a conheciam realmente, seus gostos, seus sentimentos etc. Tenho uma ligação muito estranha com idosos, então imagina só COMO eu fiquei abalada, né.

“Narrado pelas vozes de uma filha, de um filho, do marido e da própria mulher desaparecida, Por Favor, Cuide da Mamãe é, ao mesmo tempo, um retrato da Coreia do Sul contemporânea e uma história universal sobre família e amor.

O livro começa com Park Sonyo desaparecida há uma semana e os filhos sem saber o que colocar no folheto de descrição da desaparecida, hahaha ó o naipe da má criação.. Mamãe, como é chamada durante todo o livro, tinha ido do interior à capital para comemorar o aniversário ao lado dos filhos tão ocupados. Daí começa todo o processo ~muito chatiado~ do livro, primeiramente com a filha mais nova, escritora de sucesso que nunca se preocupou em ler seus livros para a mãe analfabeta, depois com o primogênito, que teve uma educação superior a de seus irmãos e se mostrou uma promessa não cumprida, sem faltar claro o marido relapso que deve ter virado uma ferida de tanto acumular mágoa, né.

A autora coreana Kyung-Sook Shin ganhou por este livro o premio Man Asian Literary Prize, um dos mais importantes do oriente (foi no começo do mês!). Ela foi a primeira mulher a conseguir o prêmio, e já escreveu 16 livros, que estão sendo aos poucos sendo traduzidos para o inglês e depois devem chegar aqui também, né? A Intrínseca deve lançar também <3

Como termina o livro obviamente não contarei também, só falo que o ultimo capitulo é contado pela própria Mamãe – é o único em primeira pessoa. Ou seja, daí você fica sabendo se tudo aquilo que tentou adivinhar estava realmente certo.

Está em promoção no submarino, por R$ 22,90. Não ta de graça, mas considerando que lançou há tipo, um mês, ta super barato! Acho que você deveria comprar pra ler.

Também acho que você precisa participar do sorteio do Ovo de Páscoa Kit Kat, afinal sexta feira sai o resultado. To muuuito curiosa, hahahaahah. Beijo!

Sukiya

Apesar de valorizar muito o hábito de fazer as refeições sempre em casa, às vezes gostamos de passear por aí e experimentar comidas diferentes. Assim eu descobri a minha nova rede de fast food favorita: o Sukiya!

Adoro comer Gyu-don, meu padrasto faz um incrível, porém nunca imaginei que fosse chegar tão rápido ao Brasil uma rede que oferecesse Gyu-dons gostosos, saudáveis e tão baratinhos. Felizmente chegou, no começo do ano passado e está se espalhando cada vez mais pelas ruas de São Paulo.

O GYU-DON é um prato que consiste em carne de vaca cozida no shoyu, fatiada e com cebola, servida sobre uma farta porção de arroz e alguns outros temperos e condimentos, que fazem desta uma refeição tão customizavel (e com versões tão…. estranhas).

No Japão esta refeição é super famosa, quando bate a fome é muito mais comum a galera bater esse prato de arroz com carne do que comer um Big Mac, então além de delicioso, acho que não deve fazer mal, afinal japoneses são lindos e magros, né.

O Sukiya foi fundado em 1982 e sempre se dedicou apenas a esta receita, nos restaurantes deles não tem mais nada para vender, só variações deste prato, então se você acha que não encara essa carninha, nem vá.  Atualmente a rede possui aproximadamente 1748 lojas em todo o Japão, é a maior vendedora de gyu-don do mundo e promete trazer 1400 lojas no Brasil até 2014 (nós somos a primeira nação a receber filiais deles fora do Japão), então você vai acabar experimentando.

O meu prato favorito lá é o Gyu-Don com Negui-Tama, que é carne + cebola + arroz + cebolinha fatiada + ovo praticamente cru. É tão delicioso, gente, eu poderia comer isso todos os dias da minha vida, rezo pra abrir um perto do meu trabalho, um sonho.

Os atendentes são sensacionais. Eu não costumo ver atendimento assim nem em restaurantes caros, imagina num fast-food que a refeição não costuma custar mais do que R$ 15,00. Chocante mesmo, não sei que tipo de treinamento eles tiveram, mas se você for abrir um negócio, contrate a mesma empresa de RH, incrível.

Em São Paulo já estão abertas 8 filiais deles, uma delas é 24horas e fica na Rua Augusta. Os endereços são ótimos e estratégicos, então certeza que dá pra você experimentar sem se deslocar muito. No site deles tem todas as localizações e o cardápio, com preços e fotos dos pratos.

 

Ficou afim? Quem for comer lá me conta! Beijo.

Survive Style 5+

Eu não sou fã de muitas coisas nessa vida, mas pode ter certeza que de uma coisa eu sou fã: Survive Style 5+.

Desde que eu o assisti (há uns 3 anos), já revi mais de 40 vezes e a cada cena ele confirma os motivos de ser meu filme favorito.

Lançado em 2004, este é o filme mais nada a ver de todos e provavelmente por este motivo é o que mais faz você pensar a respeito. É tipo um ‘Babel’ com cenários mais lindos e problemas mais legais pra resolver.

Os 5 modos de sobrevivência são:

1. Um homem que mata sua mulher, várias vezes, pois ela nunca morre;
2. Um britânico e seu intérprete japonês, ambos assassinos de aluguel;
3. Um casal formado por uma publicitária workaholic de talento duvidoso com idéias e um apresentador sexy, narcisista e brega de showbiz;
4. Um japonês pai de uma família fofa, que foi hipnotizado e age como uma pomba;
5. Três amigos indecisos sobre sua sexualidade.

Não encantou só a mim, SS5+ rendeu ao seu diretor, Sekiguchi, prêmios como melhor diretor no Montreal Fantasia Film Festival e também no reconhecido evento coreano Pusan International Film Festival como filme mais escolhido pela audiência. Também está na lista dos ‘50 melhores filmes de terror de todos os tempos’, segundo o IMDB, apesar de eu não entender a razão, porque definitivamente não tem nada de terror nele, hahahaah.

É muito legal acompanhar as histórias, todas passam uma mensagem. Não é um filme linear, normalmente eu me incomodo um pouco com cenas surreais, mas até mesmo a cena em que uma mulher cospe fogo me cativa nesse filme.  Os fãs do filme acreditam que ele funciona como os sonhos, totalmente baseados em simbologia, nos transmitem mensagens comuns através de situações absurdas.

O papai que vira galinha, por exemplo, é uma situação surreal e até mesmo engraçada, mas serve apenas para ilustrar um conflito entre ele e a visão de sua família, que não o aceita mais. Fica implícito que há modos alternativos de sobreviver, amar e encarar a vida.

Não vou contar muito, porque quero que vocês tenham surpresas, ao invés de já saber qual é a historia de cada um dos modos de sobrevivência. Quem sabe se vocês tiverem a mesma experiência surpresa que eu tive na primeira vez não acabam fãs também, né?

Não é um filme que você vai conseguir encontrar na locadora, infelizmente. Mas internet ta aí pra isso, eu recomendo de coração <3

 

AAAH! Já ia esquecendo, hoje a coluna do meu marido, #GONGSHOW no Box de Séries, é toda sobre as minhas preferências na hora de assistir televisão! Ele fala de vários programas que eu gosto e conta como isso afeta drasticamente a qualidade de vida dele. Ri demais lendo o post (ri da minha própria cara, né? hahahaha), entrem lá pra ler e considerem como dicas de ótimo entretenimento (apesar dele discordar, né). Beijo!