O outro lado do Japão

21 de julho de 2015

No meu tempo livre, a coisa que eu mais gosto de fazer é assistir documentários. Eu não costumo ter interesse por ficção e raramente assisto filmes que não sejam baseados em fatos reais… Não sei exatamente o motivo, nunca parei pra pensar muito sobre isso, mas é uma realidade há pelo menos 10 anos. A mesma coisa acontece com livros, nem me lembro quando foi a última vez que li algo de fora da seção de história ou biografia. Tem mais alguém assim por aqui?

net

Apesar disso, ultimamente estou achando muito difícil encontrar documentários interessantes, meu sonho é que inventem um Netflix voltado apenas para esse gênero, ou que pelo menos aprimorem a busca do serviço de Streaming. Mas enquanto isso não acontece eu fico rodando a internet mesmo, principalmente o Vimeo, onde diversas produtoras independentes costumam disponibilizar títulos. Os últimos que chamaram a minha atenção são bem curtinhos, não duram mais que 10 minutos cada, então todo mundo tem tempo de assistir. Achei interessante dividí-los aqui no blog com vocês porque falam sobre aspectos do Japão que muitas vezes não conhecemos e definitivamente precisamos conhecer se admiramos o país, seu idioma ou sua cultura. Eu vejo muita gente falando, dentre outras coisas, que no Japão não existem moradores de rua, que não se vê isso por lá. Eu mesma ví muitos, com certeza bem menos do que vejo aqui em São Paulo, mas diariamente via vários deles, então acho estranho e até mesmo um pouco triste quando desconhecem a existência deles. Mas esse é o tema de apenas um dos vídeos, que vocês podem ver a seguir: Outra coisa que vejo de vez em quando na internet são comentários sobre pessoas que moram em lanhouses. No Japão esses lugares são chamados de Net Cafe e são um pouco diferentes do que estamos acostumados, geralmente são compostos de várias salinhas bem pequenas com um computador e uma almofada, sendo que na recepção é possível comprar refrigerantes e ler mangá. Algumas possuem banheiros equipados com chuveiro também, porque é comum as pessoas (principalmente homens) que saem tarde demais do trabalho para pegar o trem, virem a noite por lá, já que é bem mais barato do que pagar um hotel capsula. O problema é que justamente pelo valor acessível, algumas pessoas acabam vivendo nesses cubículos, como vocês podem ver no vídeo a seguir: No fim das contas eles não ficam lá porque são viciados em internet e não querem perder tempo indo pra casa, como eu vejo muita gente dizendo… Eles simplesmente não têm outra opção :( E é justamente sobre opções que fala o último vídeo da série, já que ele fala um pouco sobre pessoas que trabalham tanto e sofrem tanta pressão no trabalho, que não veem outra saída na vida, a não ser o suicídio. É um pouco triste, mas acho interessante porque humaniza essas pessoas. Muitas vezes vejo gente falando que isso acontece no Japão porque eles são como máquinas e não têm família, que só focam no trabalho, por isso não faz diferença. Mas sempre faz diferença e esse vídeo é justamente sobre isso: Demais, né? É claro que todos os vídeos são tristes, mas acho essa reflexão muito importante, principalmente para quem se interessa pela cultura japonesa como eu. Com certeza esses fatos não tornam o Japão um país ruim e entendo que isso acontece em níveis muito mais graves aqui no Brasil, mas fica a mensagem de que nem tudo é perfeito e que todos precisam melhorar, ao menos em alguns aspectos… Até mesmo o meu lugar favorito no mundo precisa melhorar, rs. Espero que tenham achado interessante e peço desculpas para quem não entende inglês, infelizmente não encontrei esse material legendado em português. Agora quero saber: viram algum documentário super legal nos últimos dias? Deixem nos comentários, quero assistir. Mil beijos e até mais tarde <3

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube – Viber

31 Comentários sobre O outro lado do Japão