O (nem tão) Incrível Homem-Aranha

13 de julho de 2012

Bom, primeiramente gostaria de me apresentar, sou Rodrigo Yamamoto, vulgo “padrasto” da Heloísa. Se você já leu algum post aqui (principalmente os de comida) já deve ter ouvido falar de mim. Ontem com a família reunida fomos ao Imax Granja Vianna assistir o reboot do filme do Homem-Aranha.

Recomendo muito o cinema. Principalmente nos dias de semana, a sala Imax é impecável, você pode chegar meia hora antes do filme e comprar um lugar muito bom. Segunda-feira, feriado, chegamos 1 horinha antes do filme e mesmo assim conseguimos bons lugares. Ah e de semana a meia custa míseros R$ 11,00. Vale a pena demais porque (na minha modesta opinião) Imax em 3D é simplesmente repetaculê e não venha me falar que você compra filmes no camelô da esquina do metrô e paga 1 real. Imax é Imax. FULL OF WIN.

É legal chegar antes também porque ao lado do The Square Open Mall na Raposo, tem um outro “Mall” com posto de gasolina, diversas lojinhas, entre elas uma padaria Dona Deôla e um mercado Le Marchê. No mercado (mercadinho de playboy) você encontra um monte de coisinhas importadas, refrigerantes (NÃO RECOMENDO O DE CASSIS, é pior que remédio), cervejas (a preços bons – Guinness a R$ 9,00, FAXE – breja de macho, 1L a R$ 10,00), salgadinhos diferentes, doces… As coisas são relativamente caras mas se você for comparar com o que cobram por 1 saco de pipoca no cinema, tá tudo muito barato (1 pipoca grande = 1 Coca de 600 ml + 1 pote de Pringles, recomendo o sabor Buffalo Wings). Se você tiver um gosto diferenciado também tem um Pet Center Marginal ao lado, petiscos Whiskas de salmão, sorvete de bacon e Biscroks a vontade.

Já perceberam que em tudo gosto de pagar barato ou economizar. A Patrícia (mãe da Helô) me chama de Julius (pai do Chris).

Bom, abastecidos e com os ingressos em mãos vamos ao filme: apesar de japonês, nunca fui um leitor de quadrinhos, animes e afins. Meu negócio era bater figurinha do Campeonato Brasileiro e jogar bola na rua ou seja, não manjo nada das historias “reais” dos super-heróis. Acho que se eu fosse adolescente e principalmente fosse vítima de bullying, eu acharia esse filme espetacular. Mas não é o caso. De cara já dá pra perceber que um dos focos principais do filme é tornar o Peter Parker menos nerd. Ainda é bobo e sofre bullying, mas é mais descolado (o Andrew Garfield colabora muito pra isso), anda de skate e tem um ar sempre misterioso. Sabe aquele nerd que a gente tem medo na escola? Ele é mais ou menos assim.

Não sei se eu estou ficando velho e chato sabe, mas tudo parece muito o mais do mesmo. Claro que toda história de super-herói é recheada de clichês, eu, como fã incondicional de filmes de terror, principalmente os de zumbis, adoro um bom clichezão. Mas pera lá né… Acho que nem vale a pena contar muito sobre a história do filme já que é isso aí mesmo que você tá imaginando. Alguns destaques do filme ficam por conta dos tios do aranha, Martin Sheen (se fosse o filho o filme seria mais legal) e a Sally Field. Pô o tio Ben é aquele tiozinho gente fina sabe. Aquele que até da pra desconfiar quando ele dá uma bala pro seu filho e você logo pensa no Ratinho comentando sobre pedofilia.

Tia May. Porra, não precisava zuar tanto a “velha”. A mulher parece que tá com um pé mais próximo da cova em cada maldita cena. Ou zuaram demais na maquiagem ou a Sally Field já era mesmo, tadinha.

A Emma Stone: vai ser trágico se ela tiver o mesmo fim dos quadrinhos. Engraçado que ela não é uma deusa à lá Angelina Jolie, mas ela tem alguma coisa diferente, sei lá. Vou parar por aqui pra não apanhar em casa.

O vilão. Bom, a princípio nem é vilão, o cara é brother do pai do aranha e claro sabe de um monte de coisa obscura. Fato é, depois de ver um vilão como o Heath Ledger (o Coringa) o bad boy do aranha devia cantar “Eu andava muito triste, num tremendo baixo astral, VIREI filhote de LARGATO só pra mim ficar legal”. Não curti. É o tipo de personagem que se um dia aparecer num jogo de luta vai ser que nem o Zangief.

A roupa: ele acha no Bing (pqp alguém usa isso!!) que as roupas coladinhas e elásticas dos esportistas são de elastano, pede algumas roupas e bugigangas do Deal Extreme, costura tudo e voilá! Temos uma roupa muito louca do Homem-Aranha… convenhamos. Ah e as teias ele compra na Amazon, afinal deve ser uma fibra super baratinha.

Legal é que tanto o atirador de teias como a fechadura da porta do quarto dele parecem ter sido desenvolvidas a partir do Arduíno (graças ao Leandro Toledo eu sei o que é isso). Ou seja, mais uma referência nerd no filme.

Impressionante a velocidade em que tanto o aranha como o largato aprendem a lidar com suas mudanças físicas e mentais. Bom, eu nunca fui picado por aranha radioativa, não tomei injeção de DNA de dinossauro e muito menos T-Virus da Umbrella não posso falar muito mas achei que um período de treinamento (que nem a cena do Tobey Maguire aprendendo a lidar com as teias que brotavam de seus pulsos – fato corrigido agora no reboot) seria algo a se considerar.

Identidade secreta. Nesse filme nem é tão assim, porra, todo mundo envolvido (menos a múmia da tia) sabe que o cara é o que é. E ao invés dele sair correndo tipo FUUUUUUUUUUUUUUUUU não, ele faz cara de Fuck Yeah.

Agora pra mostrar que não sou um cara mau, a conclusão que tiro disso tudo é que pela sociedade que vivemos hoje em dia, o filme é bacana. O Peter Parker parece ser um cara que mereceu ganhar os poderes porque talvez no meio daquele bando de bundão, ele é um cara que pode fazer a diferença.

O romancezinho que rola entre ele e a Gwen Stacy também é legalzinho, até porque se é pra ver filme de amor, assista “A Moment to Remember“, não é aquele de universitários americanos não, é um da Coréia, terra de filme BOM (claro, na minha opinião). O casal combina e fica até “fofo” quando ele diz no final que não sabe manter promessas. S2

Faltam cenas de ação, daquelas em que prédios são destruídos, porradaria e testosterona. Essa é a minha maior reclamação. Acho que a intenção principal de tudo isso foi copiar a fórmula certeira do Christopher Nolan e o Batman Begins. Porra mas ali além de um herói mais interessante, ele tem o Psicopata Americano (Christian Bale), o maior vilão da história do cinema (Heath Ledger) e tudo de mais épico em termos de filmes de heróis. Ou seja, acho que não vai rolar. Manda o Homem-Aranha pros Vingadores que aí sim…!

Bom, é isso aí! Parabéns se você leu toda essa baboseira até o final. Espero colaborar mais vezes com o blog, como puderam ver não sou redator, escritor e nada do gênero, mas acho que essa oportunidade é uma excelente forma das pessoas e eu mesmo me conhecer de uma forma diferente. Bom fim de semana, assistam o filme e até mais!

4 Comentários sobre O (nem tão) Incrível Homem-Aranha