Ícone GastroRock

5 de outubro de 2016

Ainda que a gente saia pra comer fora e conferir lugares novos com bastante frequência, a região da Vila Madalena é praticamente inédita pra mim, é realmente muito raro eu passear por lá… Talvez por isso demorei 4 meses para conhecer o Ícone GastroRock, que apesar de ter um nome exageradamente moderninho, é um restaurante incrível com gastronomia japonesa fusion, atendimento, cardápio e ambiente pra ninguém botar defeito.

 

 

Nosso balcão, não é lindo? #restaurante #vilamadalena #instafood

Uma foto publicada por Ícone GastroRock Experience (@iconegastrorock) em

 

Pra quem não entendeu o motivo de eu não curtir tanto o nome, vou explicar: quando li a primeira nota sobre o lugar, achei que fosse uma hamburgueria. Depois achei que fosse algum lugar com um monte de vinil espalhado… Mas no fim das contas é com certeza o lugar mais maravilhoso que conheci esse ano, ainda que minhas expectativas tenham sido completamente desajustadas, rs. Sabe quando você quer comer algo muito incrível e especial, mas não sabe o que é? Independente do que seja, está lá. Eu realmente me apaixonei por tudo o que acontece nesse balcão, que acomoda mais ou menos umas 15 pessoas.

img_20160923_211347 img_20160923_211409

O cardápio do Ícone é muito legal, fica realmente difícil escolher o que comer, mas como os chefs preparam tudo bem na nossa frente, com um capricho que há muito tempo eu não via, fica fácil perguntar, bisbilhotar e decidir. Optamos por Ceviche e Steak Tartare de entrada, já que os crus realmente fazem a nossa cabeça na hora de comer fora. O Steak Tartare, além de ser lindo, sem dúvidas foi um dos mais gostosos que eu já comi, isso porque é a minha comida favorita… Mas o Ceviche rouba a cena, porque é lindo e consegue equilibrar perfeitamente o tempero peruano com os cortes perfeitos do peixe que só a culinária japonesa oferece. Aliás, que peixe, hein? Amo atum, mas é meio cilada pedir cru em restaurantes, porque geralmente ele vem pálido e fibroso, mas não no Ícone, lá ele é perfeito como há muito tempo eu não comia. Impossível voltar lá e não pedir essa entrada! Na dúvida, coma dois que vai valer pelo prato principal também, rs.

img_20160923_214527

Não que o prato principal não seja uma boa ideia também… Eu fui de polvo com purê de wasabi, porque é o prato mais famoso deles até então. Merecido, viu? É nítido que o polvo foi massageado por muito tempo e no cozimento, algo adocicado acontece, porque a película de fora, além de linda, é deliciosa! O purê também muito gostoso, com wasabi na medida para posers como eu, que não amam tanto o verdinho.

img_20160923_224723

Já o Raoni foi ousado e pediu um porco, um corte lindo e gigante, de uma raça que acredito chamar Duroc, que é servido com o purê mais gostoso que já comi na vida, com um leve toque de missô. Sem dúvidas eu comeria esse purê todos os dias, vocês precisam experimentar! Um detalhe bem interessante é que eles serviram junto com uma compota de limão que lembra muito um umê bem salgadinho, fica uma delícia com o porco… Tive que experimentar, rs.

img_20160923_224742

A sobremesa foi um exagero, mas um final feliz depois de tantos pratos inesquecíveis! Eu pedi uma pannacota com compota de figo, porque sou apaixonada por figos, né? Ela é pequena e delicada, talvez um pouco cara, mas muito gostosa. Já o Raoni escolheu a outra opção do cardápio, o pain perdú, que é tipo uma torrada francesa, com um creme leve e cajus flambados no Jack Daniels. Eu nem gosto muito de caju, mas estava uma delícia e acredito que a maior parte das pessoas vão achar que vale mais a pena do que a pannacota, aposto 😉

img_20160923_233405

A única coisa que senti que deixa um pouco a desejar são as bebidas, porque como o restaurante não é imenso e a ideia é justamente ter um atendimento mais especial e intimista, acho que eles não têm alguém só para tomar conta do bar. De lá saem drinks básicos preparados com muito carinho, mas sabe quando você acha a comida tão fenomenal, que sente que falta algo à altura pra beber? Nós pedimos o drink Ícone, que leva vodca, sake, margarita mix, xarope de laranja e capim santo, que era bem gostoso e refrescante, mas acho que um evento para ser apreciado a parte… No fim das contas fui de água com gás e a comida era tão boa, que não sobrou espaço para caipirinhas, vinhos e cervejas, como o cardápio sugere.

img_20160923_233432

Pensem em uma pessoa que teve uma sexta-feira muito maravilhosa? Fui eu essa noite 😀  Fazia tempo que não ia em um lugar e saia contente simplesmente porque a comida era incrível e o atendimento maravilhoso… Definitivamente faltam lugares como o Ícone GastroRock, então pensem nele com carinho da próxima vez que quiserem ter um jantar muito legal. Eu com certeza vou voltar sempre que der e já não me vejo comemorando coisas especiais sem esse ceviche mágico!  E vocês, já conheciam o restaurante? Ficaram com vontade de provar algum dos pratos que pedimos? Me contem tudo nos comentários! Para saber mais sobre o Ícone, clique aqui. Mil beijos e até mais tarde <3

Facebook – Instagram – Youtube 

♥ Snapchat mais legal do Snapchat: helodelarosa 

Siga o meu blog no Bloglovin

1 Comentário sobre Ícone GastroRock