25 fantasias para fazer em casa e arrasar no Carnaval!

Sabe-se lá o motivo, esse ano as coisas entraram em clima de Carnaval muito mais cedo, repararam? No fim da semana passada já tiveram bloquinhos aqui perto de casa e meus amigos estão combinando de cair na folia (ay que frase clichê kkkk foi irresistível) desde dezembro. Eu amo e odeio Carnaval, ao mesmo tempo. Sou muito louca por escolas de samba, acompanho todas as notícias sobre barracões o ano inteiro e na semana dos desfiles eu não faço mais nada, porque preciso conter minhas energias para assistí-los. Mas essa coisa de Carnaval de rua eu acho meio insuportável, já tentei algumas vezes e eu não consigo me divertir, não consigo cantar junto, não consigo sequer entender o motivo de existir… Então acho que na verdade eu gosto de coreografias, paetês, glitter, plumas de pavão e competições, né? Outra coisa que eu gosto muito é de fantasia, de se esforçar pra ser original e fazer em casa coisas divertidas para ir em festinhas na casa das pessoas. Então como eu sei que tá mais que na hora de começar a pensar na montação, separei algumas ideias bem divertidas e fáceis de reproduzir pra quem precisar de uma inspiraçãozinha carnavalesca:

Demais, né? Eu sei que a Farm tem fantasias lindas e que brilhar com muito glitter e adereços é incrível… Mas a gente já diva por aí todos os dias, então curto esse lado de fantasias engraçadas e toscas que o carnaval pode nos oferecer! Confesso que já usei 3 fantasias dessas do post e se tivesse alguma festinha pra ir esse ano ia tentar reproduzir mais duas. Talvez seja por isso que nunca ninguém vai me chamar pra ir no baile da Vogue, né? Hahahaha não dá pra ter tudo nessa vida, mas o importante é se divertir! <3

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube – Viber

Hyperbole and a Half!

No fim do ano passado eu comprei alguns livros novos e isso me motivou a retomar o hábito da leitura, que tinha ficado perdido no meio de tanto trabalho. Eu ainda não acabei de ler todos os livros e agora vejo que alguns dos títulos que eu comprei são meio chatos na verdade, mas se tem um livro que me surpreendeu completamente foi o Hyperbole and a Half, do famoso blog americano que leva o mesmo nome.

Eu amo ler coisas novas e assistir filmes no meu tempo livre, definitivamente é o que eu mais gosto de fazer… Mas eu sou meio criteriosa demais na hora de escolher os títulos. Literalmente me recuso à passar meu tempo com histórias sobre o passado, sobre o futuro e sobre qualquer outro tipo de realidade que seja muito diferente da que vivemos em 2015. Também detesto histórias de ação e quando o suspense parece muito interessante, sempre pesquiso no google pra ver o número de tiros que as pessoas dão ao longo da trama. Mais de 3 tiros é inaceitável! Mas talvez por causa de tantos critérios e loucuras que eu tenha amado ler Hyperbole and a Half!

Digamos que a minha vida seja muito, mas muito parecida com a da Allie Brosh, autora do livro e do blog mais interessante de todos os tempos… Que você acha que não conhece, mas certamente já viu alguns memes dela traduzidos para o português rolando por aí. Na verdade, acho que todo mundo pode se identificar com algo: ela fala sobre a sua infância, sobre a preguiça, sobre os problemas que teve durante a infância, sobre coisas loucas que já aconteceram na vida dela, sobre como tudo o que ela quer é ficar sem fazer nada e sobre cachorros, aliás ela fala bastante sobre cachorros, o que é muito engraçado.

O melhor é que todas as histórias são ilustradas de maneira bem tosquinha, daquele jeito que a gente acha que consegue desenhar no paint (acha, porque na verdade até isso é difícil) e no começo acha muito feio, mas depois percebe que os desenhos são tão engraçados quanto as histórias. Isso deixa o livro lindo! Cada história tem páginas de uma cor diferente e todas são vastamente ilustradas, como dá pra ver nas fotos do post. Isso é bom, porque o livro fica muito bonito, colorido e divertido… Mas também é um pouco chato, porque ele acaba rápido demais. Eu fiquei economizando e terminei de ler em umas 8 horas. Foram algumas das horas mais legais dos últimos meses!

Então se você quer começar a ler alguma coisa nova e totalmente apaixonante, a minha dica é o Hyperbole and a Half! Ele é perfeito para quem não tem muito tempo, já que os capítulos são totalmente desconexos, ou para quem está precisando rir mais de si mesmo e das coisas toscas que acontecem na nossa vida todos os dias… E quem não está precisando, né? O livro está em promoção no Submarino, quase a metade do preço que paguei! Clique aqui para ver no site <3

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube – Viber

Quanto custam nossos órgãos?

Acho que todo mundo, em algum momento muito bizarro da vida já brincou que ia vender os próprios orgãos no mercado negro pra fazer uma graninha, né?  É uma loucura, óbvio que ninguém que a gente conhece realmente chega a fazer isso, afinal deve ser um procedimento horrível e muito traumático, sem falar que pode diminuir significativamente a nossa expectativa de vida. Mas uma coisa que eu fiquei chocada foi descobrir quanto custam nossos órgãos no mercado negro!

Uma pesquisa realizada pelo site Medical Transcription revelou que na verdade, cada um dos preciosos órgãos e pedacinhos do nosso corpo valem muito, mas muito menos do que eu imaginava! Eu costumava falar que venderia um órgão pra passar a vida viajando (eu falo brincando, óbvio!), mas a verdade é que não dá pra ir muito longe com a graninha que eles pagariam pela maioria deles:

  • Par de olhos – US$ 1.525;
  • Escalpo – US$ 607;
  • Caveira com dentes – US$ 1.200;
  • Ombros – US$ 500;
  • Artéria coronária – US$ 1.525;
  • Coração – US$ 119 mil;
  • Fígado – US$ 157 mil;
  • Mão e antebraço – US$ 385;
  • Litro de sangue – US$ 337;
  • Baço – US$ 508;
  • Estômago – US$ 508;
  • Intestino delgado – US$ 2.519;
  • Rim – US$ 262 mil;
  • Vesícula biliar – US$ 1.219;
  • Pele – US$ 10 por polegada quadrada.

Que triste, né? Não que eu esteja triste pela grana ser pouca, porque eu jamais faria uma coisa dessas, quero sim doar todos os meus órgãos um dia, mas de graça e só quando eu morrer, né? Mas achei deprimente ver esse infográfico em sites brasileiros e ver nos comentários pessoas pedindo por informações de como conseguiriam de fato vender seus órgãos… E elas não estavam brincando! Deve ser muito ruim precisar de dinheiro a ponto de cogitar algo do tipo.

Mas e aí, você também ficou chocado com as quantias? Imaginava que pagavam tão pouco? O corpo humano é tão mágico, perfeito e precioso, tinha que valer muito, mas muito mais!

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube – Viber