Como foi tirar o visto americano?

12 de outubro de 2015

Provavelmente muitos de vocês nem imaginam, mas quem acompanha o blog há mais tempo sabe que eu só fui ao Japão pela primeira vez no ano passado porque eu fiquei com tanto, mas tanto medo de tentar tirar o visto americano, que acabei mudando totalmente os planos iniciais que eu e o Raoni havíamos feito. Ir para o Japão sempre foi o nosso grande sonho, tipo o maior de todos da vida mesmo! Mas assim como todo mundo, eu tinha a impressão de que era algo que eu não poderia realizar nem tão cedo, já que todo mundo me falava que a única maneira de ir para o outro lado do mundo passar férias era gastando todo o dinheiro que ganharia em 50 anos de trabalho… Então a gente queria ir pra Disney! Mesmo não sendo a coisa que eu mais queria fazer na vida, eu sabia que uma viagem para os EUA seria muito legal e que conhecer Orlando seria incrível e mais barato (teoricamente) do que ir para a Ásia, então a nossa primeira ideia era ir pra lá.

malas

Só que faltava o visto, né? Eu não tinha nem passaporte e a entrevista do visto americano me deixava sem dormir por noites só de pensar, afinal é um procedimento meio caro que dá o maior trabalhão e você faz tudo sem saber se tem realmente chances ou não! Acho que pra muita gente esse medo todo não deve nem passar pela cabeça, mas como eu moro apenas com o Raoni, estou dentro da faixa etária que eles consideram arriscado conceder o visto (porque eu posso querer me mudar ilegalmente agora que sou recél adulta hahahaha) e tenho essa linda profissão de blogueira que não me dá vínculo com empresa alguma além da minha… Eu tinha certeza que não ia rolar. Tanta certeza que comecei a pesquisar outros destinos e descobri que o Japão e a Coréia do Sul cabiam no nosso orçamento, então fomos pra lá! Essa parte da história toda já foi postada aqui no blog e tudo o que posso dizer é que esse medo foi a melhor coisa da minha vida. Claro que agora que fui pra Flórida sei que lá é maravilhoso e que faria qualquer coisa pra voltar, mas ir pra Ásia foi realizar o maior sonho da minha vida e ter a certeza de que todas as coisas na minha vida poderão se realizar… Algo que eu realmente tinha dúvidas até então, rs.

Mas uma das coisas mais importantes burocraticamente falando foi que eu consegui o visto japonês! Muitos sites e agentes de viagem falavam que ele era o mais difícil e complexo, e realmente, eu passei umas duas semanas colhendo documentos e comprovantes para apresentar em uma entrevista que durou mais de uma hora… Mas o que importa é que deu certo de primeira, né? Então decidi que esse ano eu ia criar coragem para tentar o visto do Obama, rs. Mesmo assim, eu fiquei adiando o máximo possível! Coloquei a meta que queria tirar no primeiro semestre e assim que apareceram chances de uma viagem para os EUA se concretizar, resolvi começar o processo. Devia ter feito tudo antes, porque a taxa do visto é em dólar e quando eu paguei a cotação já estava US$ 1 = R$ 3,80… Mas tudo bem, não dá pra ser perfeito também.

passaporte

A única dica que eu posso dar é: preencham os formulários do site com a maior paciência e precisão da vida de vocês. Nada pode estar errado! Se você tiver dúvidas, esclareça todas antes de finalizar o preenchimento, porque se algo estiver errado na sua ficha, não vai ter nada que você possa fazer no dia da entrevista… O seu visto será negado e ponto final. Antes de mais nada, um visto negado não é o fim do mundo. Eu conheço algumas pessoas que tiveram e a maioria delas tentou de novo depois de algum tempo e foi aprovada! O importante é que você tente novamente só depois que alguma mudança aconteça na sua vida, porque o motivo da negação ficará para sempre no sistema em seu nome e caso eles verifiquem que o motivo ainda existe, você vai ser negado da mesma forma. Um exemplo comum de visto negado é a falta de vínculo com o Brasil… A não ser que você comece a fazer uma faculdade, tenha filhos que não irão viajar, compre uma casa, arranje um emprego fixo ou algo do tipo, esse vinculo continuará não existindo, né? Então sua nova tentativa provavelmente será em vão.

 

 

 

 

Já posso voltar? A vida é linda, São Paulo é incrível, mas Miami… É tudo o que eu preciso ??? #forçafocoeflorida

Uma foto publicada por Heloísa Dela Rosa (@hdelarosa) em

 

 

 

Por mais que eu tivesse preenchido todo o interminável formulário com total sinceridade e atenção, o que eu mais temia era a entrevista! Depois de preencher tudo no site do consulado americano, você paga uma taxa, marca uma entrevista para que eles tirem uma foto sua e peguem suas digitais… E por último, eles marcam uma entrevista onde decidirão se você vai ou não conseguir o visto e esse supostamente seria o pior dia da minha vida, foi quando eu fiquei mais tensa em toda a minha existência. Eu fiquei dois dias sem dormir! A entrevista do visto japonês é bem tranquila: você chega sem marcar hora, pega uma senha, senta em uma mesa e começa a responder perguntas enquanto eles estudam a sua papelada. Se eles negarem eles te falam o que falta e você volta depois, às vezes no dia seguinte mesmo, sem pagar nada. Mas você pode conversar com o entrevistador, tirar dúvidas, eles explicam tudo e você tem tempo para isso… No visto americano não! Você tem que ir sozinha, sem bolsa, sem cinto, sem celular, só pode levar os documentos. E depois de passar por várias revistas você entra em uma longa fila até um guichê que parece a boca do caixa de uma agência bancária comum. E quando chega a sua vez é a hora da entrevista do visto! Bem rápido, em pé e na frente de todo mundo.

 

 

 

 

Impossível conhecer o Mickey e não se apaixonar! Vamos embora amanhã e já mal posso esperar para reencontrá-lo ? #forçafocoeflorida

Uma foto publicada por Heloísa Dela Rosa (@hdelarosa) em

 

 

 

Eu já cheguei lá meio que entregando pra Deus, porque já tinha feito tudo o que podia, né? Mas assumo que ver todas aquelas pessoas indo embora com seu visto negado me deixou muito, mas muito tensa. Eu ainda não entendo como eu tive forças para não chorar ou desmaiar, foi um dos momentos mais tensos que já vivi e sinceramente não gostaria de passar por algo parecido de novo, rs. Mas o mais bizarro é que toda a minha tensão foi sem fundamento! Quando chegou a minha vez, eu e a minha pasta com todos os documentos já emitidos em meu nome desde que nasci fomos no guichê e uma moça fofa porém seca me esperava. Perguntei se dava pra ela os documentos e ela disse que não queria ver…. Daí eu quis me matar lentamente. Mas para a minha surpresa ela perguntou qual a minha profissão e eu rapidinho respondi que era blogueira. 

Ser blogueira é muito legal em 90% das vezes, mas nesses outros 10% estão todas as situações burocráticas hahahaha. Por mais que eu viva disso e tenha uma vida bem agradável, as pessoas no geral não entendem o que eu faço e quando eu explico elas acham que é uma brincadeira e que provavelmente deve ter alguém que me sustente hahahaha, não é algo que me dê muita credibilidade, sabe? Mas não queria mentir para a criatura entrevistadora, rs. Felizmente ela não deu bola e ainda perguntou se eu gravava vídeos, parece que achou legal a minha profissão, ficou digitando mil coisas. Daí ela perguntou pra onde eu ia e eu disse que ia para a Disney… E ela me deu boa viagem, disse que o visto tava aprovado. Eu fiquei meio em choque e acho que ela até reparou, daí eu perguntei se o meu visto estava aprovado (nem sei o motivo de eu ter perguntado algo que ela acabou de falar né) e ela disse que sim, pra eu seguir uma faixa amarela no chão… Que me levou para a saída hahahahah.

 

 

 

 

Cheguei!! Nem acredito… Esse é o parque que eu mais tenho vontade de conhecer ? #forçafocoeflorida

Uma foto publicada por Heloísa Dela Rosa (@hdelarosa) em

 

 

 

E foi isso gente! Uns 4 anos de sofrimento, pânico, agonia e sentimento de impotência foram resumidos em no máximo 10 segundos de entrevista, foi muito fácil, mas muito mesmo. Não falo que se eu soubesse teria tirado antes porque acho que cada coisa tem o seu momento para acontecer, mas nossa… Foi muito fácil, muito relax, o paraíso. Eu fiquei muito feliz! E como estava sem bolsa, sem celular, sem nada além de documentos, não podia contar a minha alegria pra ninguém… Mas dei um jeito de contar pro taxista que peguei na porta para ir até o Starbucks onde o Raoni me esperava com todos os meus pertences hahahahaha. Eu fiquei radiante, acho que dancei pela Starbucks por uns 30 minutos enquanto contava como foi a minha trajetória da vitória pelo consulado americano, foi realmente inesquecível a alegria que senti, porque por mais que eu quisesse tirar o visto, acreditava que as minhas chances eram baixíssimas, quase nulas… E deu certo, yay! 😀

Depois disso eu esperei uns 5 dias e fui buscar o meu passaporte com o meu visto impresso no mesmo lugar que colheram as impressões digitais! Era um lindo visto de turista com validade de 10 anos e o resto da história… Vocês já sabem, né? Acabou rolando uma viagem dos sonhos para Miami e Orlando com algumas das minhas melhores amigas <3

 

 

 

 

Mais felizes impossível! Estamos esperando a nossa hora de embarcar… Adivinhem pra onde estamos indo? ✈

Uma foto publicada por Heloísa Dela Rosa (@hdelarosa) em

 

 

 

No fim das contas, infelizmente não acho que tenho dicas (além das que já dei ao longo desse textão) para dar sobre como arrasar no visto, porque é algo muito pessoal, varia muito de caso pra caso e acho que até mesmo de acordo com o atendente que faz a sua entrevista! Então acho que a única coisa que vocês podem fazer é preencher os formulários com muita atenção e torcer… Porque se eu consegui, vocês têm toda a chance também, viu?? Até hoje não acredito que deu certo e que vivi tudo o que vivi, parece um sonho! E na verdade é mesmo, rs. Espero que logo vocês também realizem 😀 E vocês, já têm o visto americano? Alguém tem uma história legal pra contar sobre o assunto? Alguma dica pra dar?? Deixem nos comentários! Mil beijos e até mais tarde <3

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube – Viber

3 Comentários sobre Como foi tirar o visto americano?