Como chegar em todos os lugares do mundo (no money required)

7 de outubro de 2014

Como já contei ontem aqui no blog da Helô (que peguei emprestado pra ela curtir sua última semana de férias com calma), eu, Maria Eugênia, fiz a melhor viagem da minha vida nessas férias. Foi a melhor viagem da minha vida por vários aspectos, mas creio que o que mais facilitou isso foi a forma com que a fiz: o mínimo possível de bagagem, o mínimo possível de dinheiro, o mínimo possível de expectativas e de medo. Somente o necessário. Resumindo: eu saí de São Paulo e fui até Montevidéu de carona, dormindo na casa de desconhecidos (até então) e sozinha gastando apenas 400 reais.

Não conseguiria tal feito sem as caronas. Valeu Seu Zé, valeu Alexandre e Falnei. Sem vocês eu não teria conseguido. Essa estatueta do Oscar também é sua! Hahaha ok, mas transporte seria meu maior gasto nessa viagem, sem duvida, então as pessoas incríveis que paravam pra uma menina no meio da estrada com cara de desesperada e uma mochila enorme são, sem dúvida, a razão do sucesso. 

Obrigada Sr. Falnei. Foto tirada dentro da minha primeira carona de caminhão, no trecho Florianópolis – Porto Alegre. Não fiquei nem 5 minutos esperando (e ainda ganhei um café da tarde).

Aqui vão, então, algumas dicas de como pegar carona e ir pra qualquer lugar do mundo. Vamos gente, sem medo. O mundo tá cheio de gente e lugar pra conhecer.

  • PACIÊNCIA: Tenha paciência. Você ficar esperando uma tarde toda debaixo do sol, 5 minutos sob chuva ou 40 numa manhã gostosa. Essas coisas são imprevisíveis. Mas não deixe que isso estrague seu ânimo nunca. Bota um sorriso no rosto e mostre pras pessoas que você é alto astral (apesar da mochila pesada, fome, sede, chuva forte e carro passando na poça do seu lado só pra te molhar). Meu tempo máximo esperando carona foram 2h30, em Pelotas, com frio, mas muito sol. No ápice da desilusão e “não vou conseguir chegar, onde será que vou dormir? AI MEU DEUS”, pra passar o tempo, eu comecei a cantar “Por favor, pare o seu carro, se não parar não vou no  meu destino chegaaaaaaar” nesse ritmo (clique aqui pra saber o ritmo, né), até que me dei conta que todos os frentistas do posto estavam rindo da minha cara. Hahahaha Pelo menos eu passei o tempo sem perder o bom humor, essa é a regra.
  • PONTOS ESTRATÉGICOS: Amigo, vamos lá, se não tiver acostamento ou se você estiver atrás de uma placa, quase invisível vai ser beeeeeem difícil alguém parar pra te dar carona. Tente ficar em um lugar bem visível e que passe segurança pras pessoas, como postos policiais e de fiscalização. Saídas de postos de gasolina com aquelas paradas tipo Graal ou “paradouros” como chamam no sul são ótimos também. Na falta dessas opções, qualquer lugar onde você fique visível e haja como os carros parar sem cair em precipícios ou causar engavetamentos já está bom. Lugares onde as pessoas tenham que reduzir, como lombadas, também são bons. Pq daí dá tempo da pessoa se sentir culpada por não parar hahahahaha (ok, é jogar baixo, mas vale). 

Quase na fronteira. Estava na frente dessa placa pedindo carona quando uma carroça para. Já pensei “gente, de carroça até o Chuí eu vou demorar dias, mas vamos nessa”. Era só um senhor me falando que não era um bom lugar pra pegar carona, se eu voltasse uns 600m até um trevo seria melhor. E foi.

  • AMIGO, COMO EU VOU SABER QUE ESTAMOS INDO PRO MESMO LUGAR? Hein? Seu bobão. Acha que só esse dedão aí funciona? Ok, funciona. Mas não custa nada você fazer uma plaquinha dizendo pra onde você vai. Letras grandes e visíveis, por favor.
  • SAIBA PRA ONDE ESTÁ INDO: estude bem o lugar de destino. Conheça cidades no meio do caminho, nunca se sabe até onde sua carona vai e você não vai negar carona só por que a pessoa não está indo exatamente onde você quer. Qualquer 10 km ganhos valem muito. Não gosto da ideia de viajar de noite então sempre que a noite for chegando, ache um lugar para passar a noite. Parar em cidades não muito pequenas é bom porque sempre haverá aquele banco de rodoviária te esperando para uma noite sensual de sonecas.

Carona em um caminhão de cerveza Patrícia com minhas novas amigas argentinas de Punta Del Diablo pra Cabo Polônio. Caminhão todo aberto atrás: vento nos cabelos e friozinho na barriga.

  • NÃO TENHA MEDO: Eu sei que não é fácil. Você vai entrar no carro de um completo estranho e está super vulnerável. Mas já pensou que pro cara que está dirigindo, no conforto do carro/caminhão dele parar pra alguém pode oferecer medo também? E se você for uma estupradora/assassina/decaptadora/assaltante/serial killer? O medo é essencial para a sobrevivência, mas acredite nas pessoas. Elas podem ser (e são) boas. Dê uma chance. Mostre respeito, mostre seus limites, sorria sempre e esteja de coração e braços abertos. Dê sempre o melhor de você e, não é frase de calendário, as pessoas darão o melhor delas também.

E eis a recompensa. Valeu a pena? Valeu. Faria de novo? Farei. Estou planejando a próxima já.

E vocês? Já fizeram algo assim ou tem vontade?  Deixem nos comentários, um ajuda o outro! 😉

 

Esse post foi agendado, a Helô está passando férias no Japão e na Coréia do Sul. Para acompanhar a viagem dela em tempo real, siga-a nas redes sociais:

YOUTUBEFANPAGEINSTAGRAM

12 Comentários sobre Como chegar em todos os lugares do mundo (no money required)