Tacinha Certa!

Que vocês adoram ficar de tacinha eu já percebi e todo mundo sabe, mas com o fenômeno Val Marchiori, o champagne entrou na boca do povo (atóron trocadilho) e as duvidas sobre qual é champagne, qual é prosecco e qual é tubaína estão borbulhando (kkkkkkk). Então montei um resuminho rápido pra todas as duvidas serem esclarecidas e você arrasar xoxando as suas amigas quando elas errarem o nome:

Espumante é todo vinho que possui ~perlage~ (aquelas bolinhas que não param de subir na taça, sua rica) e quando aberto produz espuma. Todos os países produtores de vinho fazem espumante também (renda extra/trabalhe sem sair de casa). Ele pode ser feito através de dois métodos: o Champenoise, onde a 2ª fermentação ocorre na garrafa, dizem que o vinho fica suuuper mais fresco (ta). E o método Charmat onde a 2ª fermentação é numl de aço inoxidável (tipo aquelas panelas da sua mãe). A temperatura ideal pra consumir (uma garrafa inteira, rs) de qualquer espumante é entre cinco e sete graus, porque ele é meio ácido e tomar essa quantidade toda de vinagre te daria leocemia (minha vó que disse). Podemos encontrar a venda espumantes brancos, rosés e tintos: nas versões seco, meio-seco ou doce. Por isso você encontra nos rótulos as palavras brut, demi-sec ou doux (já tive uma vizinha que achava que demi-sec era homenagem pra Demi Moore).

Prosecco é o nome da uva que produz este tipo de espumante. Por enquanto só encontramos Prosecco de qualidade na Itália (país de origem – região Vêneto, Di Valdobiadenne) e no Brasil (luxo). É um espumante produzido pelo método Charmat e sempre branco.

Champagne é o espumante da França produzido na região de Champagne, em Reims, a 145 Km a nordeste de Paris. Existem espumantes franceses que não são produzidos dentro dessa área, então não adquirem a apelação Champagne. As uvas usadas são a Chardonnay, Pinot Meunier e Pinot Noir, podendo ser branco ou rosé, nunca tinto (essas coisas de uva é muito chato, né aff). Os gourmets costumam usar a super esnobe e dahora frase “Ii n’est Champagne que de la Champagne!”, que significa “Não é Champagne se não for da Champagne”, que poderia ser adaptada para “Não é Champagne se passar no Mulheres Ricas”, apesar de eu achar esse programa o máximo do sucesso e entretenimento na TV aberta.


Absolut Rio

Ano passado meu padrasto me levou para fazer um exame de sangue e o médico após tirar a amostra disse que lamentava, porém não seria capaz de dar resultados sobre a minha saúde, uma vez que a quantia de álcool no meu sangue era MUITO superior a permitida para estudo. Depois dessa humilhação publica (e de um ultrassom que relata 12 cálculos no rim esquerdo e 5 no direito), eu resolvi que se for pra beber alguma coisa, tem que valer muito a pena (adeus fogo paulista!).

Foi fazendo despesa (compras de mercado para os que desconhecem a gíria) nesse domingo que eu dei de cara com a Absolut RIO. A garrafa é uma das mais lindas da marca e o laranjão faz de tudo pra garrafa se destacar dentre todas as outras. O sabor? Manga(!!!), maracujá e laranja. Mas claro que como a vida não é perfeita, eu achei meio carinha e não comprei, hahahaha.

Porém assim que cheguei em casa, um amigo querido que foi almoçar conosco, trouxe essa Absolut (e outras mil bebidas gostosas) pra nós e foi a sensação da tarde!

Normalmente eu bebo vodca apenas com suco ou coca-cola, mas além de não ter nenhuma idéia de suco pra misturar com ela, seria um desperdício. Leve, deliciosamente aromatizada e adocicada. O sabor que se destaca é o da manga e apesar da seleção de frutas, não é nem um pouco cítrica. Mais do que recomento.

AH! Foi lançada no dia 13 desse mês de janeiro e é uma parceria com o Oskar Metsavaht, da Osklen. Deve ser super chato ser esse cara, né? Além de médico, dono de uma das marcas mais legais do país, ta sempre bombando nas colaborações sensacionais.