Brown Sugar

10 de novembro de 2014

As resenhas de restaurante são provavelmente, os posts que eu mais gosto de fazer aqui no blog e suspeito que é o assunto que muitos de vocês mais curtem ler também, afinal muitos cobram novidades nesse sentido. Mas assumo que ultimamente não tem sido tarefa fácil, principalmente depois que voltei do Japão, onde tudo era perfeito, sempre acho o atendimento de um lugar ruim, ou os preços abusivos demais e além de tudo isso meu paladar não se impressiona tão facilmente, né? Quando eu gosto eu gosto, mas pra gostar… É difícil. Mas na última quarta-feira conheci um restaurante tão gostoso, mas tão gostoso, que já voltei no sábado com a certeza de que voltarei muitas vezes.

O Brown Sugar me surpreendeu em todos os aspectos. Além do ambiente ser lindo e do atendimento ser impecável (daqueles que a gente chega a reparar, de tão maravilhoso que é), o cardápio é imenso e ainda assim caprichado. Eu geralmente não gosto de restaurantes que têm muitos pratos dentre as opções, porque é comum que eles sejam executados de qualquer jeito. É mais fácil alguém fazer uma coisa muito bem do que dez, né? Essa lógica infelizmente funciona muito pra cozinha, mas no Brown Sugar foi diferente. Nas minhas duas visitas lá na última semana, pedi várias coisas diferentes, tanto pratos como drinks, mas todos me surpreenderam. Não teve nada mais ou menos, não teve nada ruim, foi tudo maravilhoso, então precisava indicar pra vocês.

Como eles têm muitas opções, ainda não consegui desbravar o cardápio inteiro, só conheço bem as páginas de drinks da casa, drinks clássicos, petiscos, entradas e saladas. Sei que eles também têm risottos (que a Mari pediu, eu provei e amei), peixes, carnes, aves, massas e uma infinidade de outras coisas, que certamente terei tempo para experimentar, porque quero voltar lá muitas vezes.

Os preços são convidativos até certo ponto: não é uma dica barata! Para dividir dois petiscos, tomar uns dois drinks, comer um prato principal de preço médio e a sobremesa, acho que a conta sai mais ou menos R$ 150 por pessoa. Mas pelo serviço, pela qualidade dos pratos, criatividade dos drinks e pelo ambiente maravilhoso, eu acho que vale a pena. Principalmente porque todas essas características que citei me faziam acreditar que a conta sairia uns R$ 300 por pessoa, então achei que vale muito a pena o custo benefício.

Na primeira vez que fui ao restaurante (que também tem um lounge legal com sofás, no fundo), pedimos como petiscos os cannolis de salmão e os quadradinhos de arroz. Eu amo salmão, vocês já estão cansados de saber que eu vou a qualquer lugar por um peixinho, né? Então amei esse petisco, acho que foi meu favorito. A casquinha era absurdamente crocante, o peixe era bem temperado e mesclado com creme azedo e vinha uma quantidade legal de caviar por cima, o que deixava o cannoli ainda mais gostoso e não somente mais bonito.

Os quadradinhos de arroz eu achei bem gostosos também. Não é muito o meu tipo de aperitivo, porque não sou tão fã de queijo derretido, mas mesmo assim me deliciei e pediria de novo. Eles eram bem cremosos, vinham com bastante queijo por cima e um molho de mel nada enjoativo que acompanhava maravilhosamente bem. Esse foi o petisco favorito do Raoni, tinham que ver a cara dele comendo, realmente se apaixonou. Numa outra visita também pedimos as bolinhas de carne, que eu amei! Elas acompanham um creme de burrata leve e aerado, uma delícia. Também pedimos no sábado (dia da segunda visita) os mini-hambúrguers, que superam todas as expectativas, são leves, macios, o pão é crocante, mas a carne não é seca. Parece realmente um hamburguer muito gostoso, em versão mini, coisa que poucos conseguem fazer.

Como prato principal, pedi a mesma coisa nas duas visitas, porque comi na primeira e amei tanto, que não consegui sequer me imaginar tomando outra decisão. O Steak Tartare deles é realmente de outro planeta! Eu amo tartare, é uma das minhas comidas favoritas, mas até então não tinha comido um tão gostoso, magrinho e fresco. Eles temperam tão bem a carne que ela fica com um aroma muito especial, o gosto do filé mignon prevalece, mas é destacado com temperinhos gostosos na dose certa. O prato acompanha batatas fritas e uma salada mista, de folhas verdes e roxas, que ainda que fosse uma delícia, na minha segunda vez pedi pra mudar um pouco e vir apenas com folhas verdes, mas foi uma escolha pessoal, porque acho folhas roxas meio amargas. Na primeira visita o Raoni me acompanhou no Steak Tartare e na segunda a Karen também (nessa segunda era tipo drink entre amigas, rs), mas a Mari pediu um risotto de cogumelos ao vinho branco que estava incrível, com certeza vou pedir da próxima vez que for jantar no Brown Sugar.

Por mais que as comidas sejam incríveis e provavelmente as mais gostosas que comi em São Paulo nos últimos tempos, pra mim os drinks da casa ainda são o ponto alto. Eu amo beber, ir ao bar com amigos é meu programa favorito, mas ainda assim tenho um pouco de dificuldade de escolher um lugar, porque detesto caipirinhas convencionais e só gosto de cervejas específicas, como as de trigo. Mas no Brown Sugar…. Todos os drinks são tão maravilhosos, que fica difícil escolher. Experimentei o Moscow Mule (que ensinei a fazer aqui) e como poucos bares servem essa delícia, acho que esse todo mundo precisa pedir, é incrível e muito refrescante! Também experimentamos o Brown Sugar, que pelo nome imaginei ser o queridinho da casa, né? Leva suco de maracujá, whisky e chocolate flambado. Além de ser muito gostoso, vem com uma flor decorando (eu amo comidas com flores) e é servido na taça mais linda que eu já vi na vida, um sonho ter muitas delas na minha casa hahahahaha.

Uma coisa que gostamos de fazer na hora de pedir drinks, é deixar o barman surpreender e fazer algo que ele goste, que ele se orgulhe de ter no cardápio. No Brown Sugar isso deu muito certo, porque ele fez drinks que não estão ainda no cardápio, mas que vão entrar agora na carta de drinks especiais de verão. O primeiro chama Sugar School e já chama atenção pelo copo, que vem dentro de um crânio dourado, a cara da riqueza (gótico, mas rico vai hahaahah). É gim com uma infusão de hibisco e cravo, pensei que seria forte pela descrição, mas é o chá gelado mais gostoso que já tomei na minha vida. Eu não sei no que vai dar, mas vou tentar reproduzir no verão, quando estiver em Ubatuba. Como se não bastasse, ainda acompanha uma porção de espuma de limão, que eles recomendam que você coloque um pouco na boca antes de beber um gole da bebida. É incrível e muito diferente de tudo o que já pedi em bares, amei.

Também experimentamos um drink que eu não sei o nome, por não estar no cardápio ainda. Nas é whisky com amaretto (que é minha bebida favorita) e um gelo lindo, com uma flor dentro. Essa segunda bebida também foi incrível. É um pouco mais forte e não tão refrescante, mas eu certamente pediria de novo. O barman disse que ela já esteve no cardápio antes e fez tanto sucesso, que agora está voltando geladinha! Na segunda visita também experimentei dois outros drinks, o Close To Me (vodca de açaí, licor de cassis, morango e raspas de limão siciliano) e o Like a Virgin (vodca de baunilha, uvas verdes e água de coco). Os dois são incríveis, mas o Like a Virgin certamente entrou para os meus favoritos, ele é leve, delicioso e perfeito para o verão.

Para fechar, como um docinho sempre cai bem, pedimos sobremesas na primeira vez que fui lá, com o Raoni, porque ele ama sobremesas, né? Eu fui de torta de Nutella, porque a deles é muito famosa. Merecido viu? Parece que assaram potes de Nutella dentro de uma massa, porque o gosto é igualzinho ao do doce! Só a textura, que surrealmente foi melhorada… Pensei que nem fosse possível, mas é ainda mais gostoso que Nutella. Vem acompanhado de uma bola de sorvete, que pra mim nem precisava. Já o Raoni pediu crème brûlée de pistache, que realmente é surreal de tão gostoso. O gostinho do pistache é bem suave, nada enjoativo, mas ainda assim notado a cada colherada e a sobremesa é grande, acho que dá tranquilamente para duas pessoas loucas por doce dividirem. Pedimos duas porque queria experimentar mais opções para fazer esse post, mas no geral uma é suficiente.

Depois de 3 horas de muita conversa, drinks e comidas gostosas fomos embora. Como fui com o Raoni na primeira vez, posso garantir que o ambiente é uma delicia para encontros, como é tudo muito escuro, fica um clima muito intimista e romântico, é perfeito. Mas no sábado, fui com as minhas amigas e também achei maravilhoso, é ótimo para conversar e como são muitas as opções de drinks disponíveis, é legal ir pedindo vários e todo mundo ir experimentando. Nessa última visita ganhamos um mojito de cortesia e geralmente é um drink que eu detesto, mas até isso no Brown Sugar é mais gostoso!

luz intimista para jantar com meu príncipe <3

Para conferir o endereço, telefone, cardápio e outros detalhes sobre o restaurante, acesse o site clicando aqui. Como eu disse no começo do post, não é um lugar que eu poderia ir jantar todos os dias, mas sempre que quiser fazer uma coisa mais especial, agora já saberei onde ir. E vocês, já conhecem o restaurante? Ficaram animados com os drinks? Tem algum lugar que vocês acham que eu preciso conhecer para resenhar no blog? Aceito sugestões! Mil beijos e até amanhã <3

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube

3 Comentários sobre Brown Sugar