Admirando o Fuji-San

Por incrível que pareça, antes de sair do Brasil rumo ao Japão, eu não tinha planos de conhecer o Monte Fuji. Sabia da sua importância para os japoneses e até tinha pesquisado bastante a respeito ao longo da minha vida de apaixonadinha pelo Japão, mas não era um sonho, não era algo realmente relevante pra mim, da mesma forma que muitas maravilhas naturais não são prioridade quando eu faço os roteiros da minha viagem.

Só que quando eu cheguei lá tudo mudou! Não só pelo fato de ser uma montanha realmente legal e admirável de vários pontos de Tóquio, mas principalmente pela forma como os japoneses amam esse vulcão! Todo mundo me perguntava se eu já havia conhecido o Fuji-San e todo esse interesse por ele da parte dos locais me fez pensar que se eles o amavam tanto, realmente devia ter algo de especial.

A Roberta ama o Fuji-San mais que tudo, na verdade ela é a pessoa que eu mais vi amar o vulcãozinho em todo o Japão, então ela bem que tentou me levar para vê-lo, né? Fizemos um passeio muito gostoso de carro pelas montanhas na tarde que passamos juntas e esse era o objetivo principal, mas acabamos vendo outras coisas legais e o Fuji não, porque ele se escondeu na neblina muito rápido! Aliás, se a sua intenção é ir ao Japão para vê-lo, pesquise cuidadosamente as datas da sua viagem, porque não é sempre que a visibilidade é boa. Tanto que assim que chegamos no aeroporto, a primeira coisa que vimos foi uma lousa branca com a previsão de todos os próximos dias legais para conhecer o Fuji-San! A lousa tinha desenhos muito fofos de sol e nuvens, rs.

Como não deu certo de primeira, rolou outra tentativa, dessa vez com outros amigos muito queridos e especiais pra gente, a Wysrane e o Phillip, que moram em uma base militar do exército americano, lá no Japão! Fomos passar um dia com eles e entre muitas comidas gostosas, risadas e passeios, fomos visitar alguns lagos que têm vistas lindas emoldurando o Fuji. Não é que deu certo? Vimos de longe, mas foi lindo! É muito louco como as paisagens mudam tanto de um lugar pro outro, são coisas assim que me deixam com vontade de conhecer o mundo inteiro. A Wysrane nem ficou tão satisfeita com o que vimos, porque ela já subiu o Fuji (tem fotos bem legais no insta dela, clique aqui), mas pra quem não tinha conseguido ver nada como eu, foi mais do que suficiente. Fiquei super feliz… E com vontade de subí-lo também!

Antes da Wysrane me explicar direitinho como funciona, eu achava que era algo impossível e que só super atletas faziam esse passeio, mas a verdade é que muita gente, tanto japoneses como turistas, fazem essa escalada… Que não precisa de cordas e ganchos como a gente imagina ao ouvir essa palavra, rs. Ela é longa e cansativa, dependendo da rota que você escolher pode demorar até 10h só a subida. Mas por todo o caminho existem cabanas vendendo água e comida (por um precinho não lá muito amigo, afinal deve ser difícil de receber a mercadoria, né?), você pode se hospedar em pousadas que existem no caminho e com certeza o cansaço vale a pena! Eu imagino que deve ser a uma das experiências mais desgastantes fisicamente falando, por causa do terreno desigual, da altitude e do frio, mas sinceramente quero muito tentar, mesmo que eu demore 20h pra fazer a subida com a maior calma do mundo, entrou na lista de coisas que quero fazer antes de morrer.

Daí vocês me perguntam: mas se o Fuji é um vulcão, ele não pode entrar em erupção? E a resposta é sim, ele pode! Aliás, não só pode, como segundo os especialistas, isso vai realmente acontecer durante esse século. Mas um século dura muito tempo e eu tenho outras chances mais prováveis de morrer no meu dia a dia, né? Então acho que vale o risco, rs. Sem falar que da última vez que um vulcão entrou em erupção no Japão eu estava lá e por mais que tenha sido um susto grande, uma experiência muito louca e fora do meu normal, ainda sim foi uma experiência, acho que vale a pena no fim das contas. O importante é sempre seguir todas as normas de segurança e ficar prestando bastante atenção aos avisos… Mais que isso não dá pra fazer, rs.

Outra coisa que tem na região do Fuji-San e que eu estou morrendo de vontade de conhecer é o parque de diversões Fuji-Q Highland! Ia falar que é uma opção para os menos corajosos, mas pra andar na montanha russa de lá tem que ter muita coragem, coragem essa que eu nem sei onde arrumarei, mas pretendo dar um jeito na minha próxima viagem hahahaha. Por mais que ele não seja tão conhecido por nós, mortais que moramos no Brasil, nesse parque estão algumas das montanhas russas mais famosas do mundo… Mas isso é assunto pra outro post, né? Prometo que logo logo conto todos os detalhes sobre essa atração turística aqui no blog, como estou muito animada para conhecê-lo assim que possível, tenho muitas fotos e coisinhas pra contar pra vocês a respeito. Sonhar não custa nada, né?

O Fuji visto de cima, da janela do nosso voo para a Coréia do Sul <3

 Espero que tenham gostado do post e quero saber: deu vontade de escalar o Fuji-San? Conhece alguém que já subiu até a última estação? Deixem nos comentários! Mil beijos e até amanhã <3

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube  Viber 

Nenhum Comentário sobre Admirando o Fuji-San