A State of Mind – um documentário sobre o lado bonito da Coréia do Norte

9 de abril de 2013

Assisti um documentário maravilhoso semana passada e como ele fala de um tema super atual, vai ser impossível não indicar pra vocês! Desde que começou esse oba-oba das Coréias brigando, só consigo pensar em uma coisa: os Mass-Games vão acontecer em 2013? As agências de turismo que levam viajantes para a República Democrática Popular da Coréia dizem que sim, mas sinceramente, eu não sei como eles podem ter certeza de que o espetáculo mais bonito da terra acontecerá em clima de guerra… Calma, você não faz a mínima ideia sobre o que eu estou falando? Então esse documentário é feito pra você!

Como eu já mostrei o lado feio e assustador da Coréia do Norte aqui no blog, nada mais justo do que mostrar que não é só de pobreza e tortura que o país é feito: o documentário A State of Mind mostra a vida de duas jovens que fazem parte da elite norte-coreana e treinam cerca de 8 horas por dia para os Mass-Games, uma apresentação de dança e ginástica que acontece anualmente entre os meses de agosto e setembro, com duração média de 30 dias.

Os Mass-Games acontecem desde 1946 na Coréia do Norte, mas começaram bem antes, no começo do século XIX! Antigamente até os EUA e a França tinham Mass-Games, mas claro que a coisa só ganhou força e virou tradição entre os povos de cultura soviética, né? Esse povo adora uma grandiosidade e sinceramente eu acho o máximo… Os norte-coreanos também, tanto que em 2002 o espetáculo cresceu ainda mais em comemoração ao aniversário de 90 anos de Kim Il-sung, que na verdade já tinha morrido há mais de 10 anos, mas eles abafam essa parte já que ele é o Querido Líder e simbolicamente vai governar para sempre.

Foi nessa comemoração que estreou o espetáculo vigente até hoje, o Arirang. Muita gente confunde e acha que Arirang é Mass-Games em coreano, mas na verdade Mass-Games é uma modalidade de espetáculo e Arirang o nome do espetáculo:

Mass Games = Desfile de Escola de Samba

Arirang = Samba Enredo

Arirang é o nome da música mais popular na Coréia do Norte e a historinha que ela conta é lindíssima e… Maluca claro hahahaha: é sobre um casal de apaixonados chamados Songbu (ela) e Rirang (ele). Eles eram meio pobres e trabalhavam numa fazenda, dai começou a ter uma revolta popular onde eles moravam, então eles se mudaram pra uma cabana no meio da selva. Natural, né? E olha que nem tinha Kid Abelha lá pra inspirar uma casinha de sapê. Só que daí um dia o Rirangzinho teve um insight de que ele era um frouxo e homem que é homem mesmo luta pelo seu país, então ele largou a Songbu na cabana e foi pra batalha comunista hahahaha. Daí a moça abandonada ficou cantando a tristeza de não ter seu amado e essa canção atravessou todas as gerações, até ser encenada hoje em dia nessa surpreendente apresentação dos Mass-Games.

Olha que bonita a música Arirang:

Antes de assistir ao documentário eu achava que como era muita gente se apresentando, todos os cidadãos participavam do negócio, achei que fosse meio fácil entrar na coisa e então me espantava com o fato de todo mundo ter talentos fantásticos para a ginástica geral… Mas não! Fazer parte de uma apresentação dos Mass-Games é muito difícil e concorrido, os jovens treinam por horas sem parar pra nada, estão sempre cansados, mas ainda assim muito animados com a possibilidade de serem escolhidos para dançar para o Grande Líder.

Cada “pixel” é um aluno e essas imagens do fundo trocam toda hora! Eles precisam trocar a cor sincronizadamente para demonstrar a harmonia do trabalho em grupo na Coréia do Norte. Ao todo, eles escolhem para executar essa função 20mil alunos por ano.

No caso das fofas do documentário, uma até já tinha conseguido em versões passadas e o vigente seria sua 4ª apresentação, o que não garantia que ela realmente seria escolhida… Pra conseguir ela chegou a treinar durante 12 horas seguidas por vários dias! Aliás, o treinamento é bem menos complexo do que eu imaginava, as turmas ficam em um pátio de concreto fazendo e refazendo as apresentações mil vezes seguidas, não tem tablados nem colchonetes. O que anima as meninas e faz com que elas jamais desistam? A chance de estar na primeira fila em uma coreografia e assim entreter o Grande-Líder, o que elas até conseguem… Pena que o todo poderoso não se deu ao trabalho de ir assistir a nenhuma das 35 apresentações do Mass-Games naquele ano. Nem os “ricos” da Coréia do Norte se dão bem, isso é fácil de observar e foi mostrado em todos os momentos do documentário.

Outra coisa que eu achei interessante é que mostra bastante a convivência das meninas em casa, com as suas famílias. A que já participou dos Mass-Games tinha um privilégio a mais: o direito de ter uma televisão em casa e a oportunidade de assistir às 5 horas de transmissão da tv estatal… Eles até jantam em volta da televisão, mas a diversão deles é cantar e dançar, tocar instrumentos e cantar em família, achei essa parte muito fofa. Apesar de todos os pais prepararem seus filhos para exercer funções em prol da comunidade, é adorável ver como todos se cuidam e se amam, até então nada que eu já tinha assistido sobre os norte-coreanos havia demonstrado isso e foi fofo perceber que no fundo, todos são gente como a gente, né?

Acho que em tempos como o que estamos vivendo agora mesmo, onde ouvimos várias pessoas leigas falando que “a Coréia do Norte precisa morrer”, é ainda mais legal divulgar documentários como esse. Às vezes tenho a impressão de que algumas pessoas pensam que todos os norte-coreanos trabalham no exército e principalmente, que eles sabem realmente o que estão fazendo… Eles não fazem a mínima ideia de como é a vida nos outros países, ou que talvez a politica deles esteja totalmente errada e o presidente deles é meio babaca. Eles não sabem como a vida realmente é no resto do mundo, eles apenas vivem! Aliás, todas as pessoas que eu conheço que foram pra lá e não precisaram ficar com guias, falam que é um povo extremamente humilde, mas igualmente animado e sorridente. Meu sonho é ir pra lá, assumo! Quem compartilha da mesma vontade e também quer ver os Mass-Games de perto, clicando aqui você acessa um blog muito legal com algumas dicas de um cara que já assistiu ao Arirang duas vezes! Demais, né? O cara realizou meu sonho duas vezes hahahaha.

Espero que vocês tenham gostado da dica e assistam ao documentário, eu baixei ele via torrente e achei legendas, mas somente em inglês. Vale a pena! Beijo e até amanhã <3

Nenhum Comentário sobre A State of Mind – um documentário sobre o lado bonito da Coréia do Norte