A Pequena Lebre Ruiva

Eu tô muito doente essa semana e felizmente, vivendo meio que num esquema de repouso absoluto, sabe? É ruim, mas eu acabo gostando porque raramente posso ficar de patifaria no sofá da minha casa vendo a novela, hahahaha. Mas apesar de estar no bico do corvo (uuuhru, uuuhru, é esse o barulho de corvo?), estou tentando e felizmente conseguindo, deixar esse blog atualizado todos os dias, mesmo que com posts tão cheios de seriedade quanto a minha existência nos últimos três dias, ou seja: nenhuma hahaha. Por isso que hoje vou postar mais uma linda história, escrita e desenhada pelo lindo, maravilhoso AND talentoso Raoni Marqs. Espero que vocês gostem… Claro que vão gostar, olha só:

Eis que no meio do Polo Norte, havia uma caixa térmica de isopor, do tamanho de uma árvore.

Nessa caixa, vivia uma lebre pequenininha, do tamanho de uma garrafa.

Mas um belo dia, a pequena lebre percebeu que estava entrando água nos seus aposentos.

…Ela achou que era só goteira, então nem ligou e continuou fazendo a sua coreografia da música do MGMT.

BUT, se passaram algumas horas e a lebrezinha percebeu que a água já estava na altura de seus joelhos!!!

Ela ficou apavorada e resolveu sair pra ver o que estava acontecendo.

Fora da sua casa estava um calor insuportavel, parecia até a minha casa.

E a água que inundava a casa da pequena lebre, na verdade, era o Polo Norte derretendo!

Apavoradíssima e morrendo de calor, a lebre correu para a casa do seu amigo Pinguim Dourado, para pedir ajuda.

Chegando lá, a lebre viu que o Pinguim também estava derretendo!

Então a lebre resolveu correr até o parque aquático da Disneylândia, para se refrescar.

No parque, ela subiu no tobogã mais alto que você puder imaginar.

E quando estava se preparando para descer, o parque todo começou a evaporar (por causa do calor, ou do aquecimento global, sei lá).

E a lebre teve que descer no tobogã seco, grrrr.

Infelizmente o atrito foi arrancando metade da sua pele, fazendo o sangue manchar por completo seu pelo fofo e branquinho.

A lebre ficou muito triste, porque ela pretendia doar seu pelo branquinho e fofinho após morrer, para que fizessem um lindo casaco de lebre.

Vendo a pequenininha chorar caixas dágua, o dono do parque, que era também um caça talentos, resolveu lhe ajudar.

Ele disse: pequena lebre, vou lhe ajudar! Vou te transformar numa modelo!

A pequena lebre ficou toda feliz e foi viajar com o caça talentos para a França, a capital da moda.

Lá a lebrezinha virou tendência, com sua pele ruiva-sangue.

O mundo inteiro resolveu copiar!

Porém, o que ninguém imaginava era que, na verdade, o caça talentos era um ninja malvadão, que roubava lebres para fazer churrasco e vender suas peles.

Mas a coitadinha da lebre descobriu isso taaaarde demais…!

Quando viu, já estava amarrada numa cadeira elétrica para ser torturada por toda a vida, até a morte.

Segundo o ninja malvadão, isso faria com que ela soubesse o verdadeiro significado de ELETRIC FEEL.

E depois de morrer, a lebre virou churrasco para todos aqueles que viram seu desfile (aqueles safados, falsos e mentirosos).

Então quando todos foram embora, o ninja levou o resto da carne da lebrezinha para sua oficina.

Hoje seus restos estão a mostra no Museu Internacional da Moda Animal, em Paris. Para lembrar a todas as lebrezinhas do mundo que não se deve confiar em um dono de parque aquático, né?

Obs: sua pele virou um casaco que foi vendido no ebay, por aproximadamente $38.568,38.

Essa linda e trágica história serve para que vocês reflitam sobre o futuro de todas as lebres caso realmente resolvam boicotar os ovos de Páscoa, tá? Hahahahaha, oks, brincadeira, não serviu para nada além do entretenimento. Mentira, serviu sim, lembramos de uma contagiante música dançante:

Beijos e até amanhã, torçam pela minha saúde porque já deu de escorregar em tobogã sem água <3

7 Comentários sobre A Pequena Lebre Ruiva