Top 5 passeios no Japão!

Vocês sabem que eu amo o Japão e que adoro conversar sobre o assunto, poderia ficar horas falando sobre o que conheci lá, as coisas que mais gosto, o que ainda quero conhecer… É muito amor, dá pra ver até no layout do blog, né?! Mas ultimamente muita gente tem ido pra lá e eu recebo muitos emails pedindo dicas de passeios e até da organização da viagem, respondo todos, afinal sou viciada nesse assunto, mas pensei que seria legal ter um post indicando de uma vez as minhas coisas favoritas! Até porque muita gente deve querer saber isso, mas não manda e-mail por timidez ou outros motivos da vida.

Clique aqui para ver o post sobre o Castelo de Osaka

Pra mim é muito difícil fazer essa lista, porque eu acho tudo indispensável naquele país, acho que a gente tem que conhecer todas as coisas, é tudo mágico e incrível. Mas ao mesmo tempo, em uma viagem a gente precisa definir prioridades, afinal o tempo, por mais que longo, sempre acaba sendo curto para visitar tudo, então eu resolvi fazer uma listinha contanto quais, na minha opinião, são as coisas que todo mundo realmente precisa fazer quando for tirar férias por lá.

Visitar Namba: o Japão tem muitas cidades incríveis e por mais que não sejam tão grandes, todas têm características muito marcantes. Tóquio é indispensável, claro! Mas acho difícil alguém ir pra lá sem a capital no roteiro, né? Por isso a minha dica é que vocês tentem encaixar Osaka também, que provavelmente foi o lugar que eu mais amei da viagem inteira. É uma cidade um pouco mais tranquila, mas você anda 15 minutinhos e chega em Namba, o bairro mais agitado e colorido que eu já vi! Além de muitas lojas legais, é o lugar com mais letreiros luminosos e gente simpática que já pude conhecer. Pra mim o dia perfeito de viagem começa fazendo passeios ao redor de Osaka (tipo Kyoto e Nara) e acaba passeando pela rua Dōtonbori.

Passear por Nara: eu cresci no interior, então sempre acabo achando esses passeios mais naturais um pouco chatos, mas é impossível não se apaixonar por Nara. Além da cidade ser muito linda, tranquila e alegre, por lá existem muitos animais fofos, como por exemplo os veados, que são o símbolo de Nara e estão por toda parte, esperando para que você dê um biscoitinho e brinque com eles. A comida lá é muito boa, os souvenirs são incríveis e as paisagens lindas, mas se você não gostar de nada disso, brincar com os bichinhos já vale a visita!

Um dia em Odaiba: eu já postei aqui no blog sobre algumas atrações de Odaiba (clique aqui para ler), mas com certeza existem muito mais coisas incríveis para fazer nessa ilha artificial, que mais parece uma versão japonesa de Coney Island! Apesar de ficar há poucos minutos de Tóquio, por lá não existe correria, não existe cheiro de cigarro e nem stress… Quer tirar um dia das suas férias para fazer compras em outlets, andar de roda-gigante, comer coisas gostosas e passear por lojas temáticas? Tudo isso você consegue fazer andando por Odaiba! Até o Gundam está por lá, é um dos passeios mais legais que eu já fiz <3

Clique aqui para ver o post sobre o restaurante do One Piece

Curtir Shibuya: eu me hospedei em Shinjuku e me apaixonei, pra mim é o melhor lugar da cidade para estar. Mas se tem um passeio que mexia muito com o meu coração era Shibuya! Lá é simplesmente a maior muvuca que eu já fui na minha vida, mas mesmo que tudo fosse muito cheio, tudo era muito organizado e agradável também! Além de lojas incríveis e restaurantes de todos os tipos, atravessar o cruzamento mais famoso do mundo é realmente mais legal do que parece, viu? Nunca fiquei tão feliz de andar na faixa de pedestres hahahaha. Pra mim vale a pena ir passear lá simplesmente por causa da estátua do Hachiko, mas se você não é tão fã assim da historia do cachorrinho mais fiel que já existiu, lá também estão as maiores lojas da cidade! Nunca vi H&M, Bershka e Tokyu Hands como aquelas na minha vida, definitivamente o paraíso. Também existem shoppings famosos como o 109 Shibuya, mas tirando uma loja de beleza no último andar, não achei que vale gastar muito tempo andando por ele.

Fotografar Quioto: por mais que eu não passe essa impressão através dos meus posts cheios de imagens, fotografar nunca é prioridade quando eu estou viajando… Gosto de curtir tudo ao máximo e muitas vezes as fotos ficam em segundo plano. Mas se tem um lugar que é impossível fazer isso, definitivamente é Quioto! Tudo lá é lindo, tudo lá é diferente e muitas vezes me sentia andando nos meus filmes favoritos ao caminhar pelas ruas daquela cidade. Acho que é um lugar que merece dois dias da viagem, pra dar pra curtir com calma, porque são muitos os passeios que valem a viagem. Eu considero indispensáveis lugares como Gyon (o distrito que inspirou Memórias de uma Gueixa) e o Fushimi Inari Shrine, que é o famoso parque de toriis do Japão (clique aqui para ver), mas tudo lá é fabuloso. Literalmente andei a cidade inteira a pé e amei cada pedacinho que ví.

Demais, né? Já posso voltar?? Nem sei ainda quando conseguirei fazer isso, mas juro pra vocês que eu falo sobre esse assunto todos os dias hahahaha nem sei como o Raoni aguenta! Da próxima vez que eu for (torçam pra eu conseguir logo) quero fazer muitas coisas diferentes e conhecer lugares novos, mas tenho certeza que vou repetir alguns desses passeios também, porque eles moram no meu coração… Espero que vocês possam fazê-los o mais rápido possível também, serão momentos inesquecíveis! Para quem quiser saber mais sobre a minha viagem, eu já publiquei o meu roteiro completo, clique aqui para ver. Mil beijos e até amanhã <3

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube  Viber 

Como é o sushi do Japão?

Eu e o Raoni somos apaixonados por comida japonesa, com certeza é uma das nossas culinárias favoritas! Então uma grande curiosidade que a gente tinha era se a comida japonesa do Brasil é mesmo parecida com a do Japão. Desde que a gente voltou essa é a pergunta que eu mais recebo, então achei que precisava fazer um post mais detalhado sobre o assunto aqui no blog, né? Afinal de contas, o sushi foi com certeza o ponto alto da nossa viagem! Acho que uma forma legal de mostrar pra vocês como é o sushi de lá, é mostrando o restaurante que eu mais gostei de comer! Louca por comidinhas como eu sou vocês devem imaginar que a gente foi assim, em muitos restaurantes. Tinha vez da gente almoçar ou jantar duas vezes, pra poder experimentar o maior número possível de restaurantes, até porque eu tinha uma lista bem generosa de lugares onde eu queria comer, leio muitos blogs de resenha, então tinha um monte de lugar no Japão que eu queria experimentar hahahaha.

O restaurante de suhi onde eu mais gostei de comer foi o Daiedô… Mas não achem que eu sabia que o nome dele era esse enquanto estava viajando, hein? Foi a Joyce Kitamura que me ajudou a descobrir como se pronunciava, afinal não leio nadinha de japonês, tanto que a gente só encontrou o restaurante pela imagem da fachada no google street view! O Raoni é muito bom nisso, ele tem os melhor GPS humano que eu já vi e sempre conseguia dar um jeito da gente chegar exatamente onde queríamos, mesmo sem conseguir ler as placas e sem ter internet no celular <3 O Daiedô fica na saída da estação principal de Shinjuku! Quem for pra lá vai perceber que, na verdade, ela tem muitas saídas hahahaha mas uma dica é mostrar o endereço do restaurante e pedir pra te indicarem, eles são muito solícitos, então não vai ser difícil.

Japan, 〒160-0022 Tōkyō-to, Shinjuku-ku, Shinjuku, 3 Chome−36−2 完全個室ダイニング 夜空

Não sei se esse endereço que eu tenho é exatamente do restaurante, talvez seja do prédio em frente ou ao lado, porque eu peguei caminhando pelo google street view, mas não tem nenhuma fachada como a do Daiedô, então vai ser fácil achar!

A maioria dos restaurantes de sushi que eu vi na viagem são no esquema de esteira: você senta em volta do sushiman e fica passando uma esteirinha com os pratos que ele acabou de preparar. Tem uns mais modernos também, que você não vê a comida sendo preparada e você faz o pedido em um tablet. Acho que tem que ir num desses pra viver a experiência, o Uobei é um exemplo muito famoso de kaiten sushi moderninho, pra quem quer conhecer. Mas no fim das contas, acho esses mais “antiguinhos”, digamos assim, muito mais legais! É uma parte muito divertida da refeição fazer um pedido especial para o sushiman ou simplesmente ficar assistindo ele trabalhar, isso eu não troco por iPad nenhum.

Lá no Japão tem muito sushi diferente, muito mesmo! É normal que no cardápio desses restaurantes tenham 30 sabores diferentes, porque eles não se prendem apenas ao peixe branco, camarão, salmão e atum. Pra ter uma ideia, teve um restaurante de sushi que a gente foi que tinha 5 tipos de atuns diferente, dos mais magros pros mais gordinhos, que são mais caros. Pra saber o preço deles você tem que ficar de olho na cor do pratinho! Em algum lugar do restaurante, seja na parede, no cardápio ou na esteirinha, vai ter explicando quanto custa cada cor de prato e os preços costumam variar de 110 a 800 ienes, no Daiedô o prato mais barato custa 140 ienes. Isso nos restaurantes mais populares tá? No Japão como em qualquer lugar tem restaurantes super chiques e caros, mas dificilmente você vai encontrar um deles procurando por sushis de esteira em Shinjuku, então não precisa ficar com medo também hahahaha. No começo eu achava que todos os restaurantes seriam caros, depois eu percebi que eu estava muito enganada, comer no Japão é delicioso e muito em conta!

Os meus sushis favoritos no fim das contas não foram muito diferentes os sabores que eu como aqui no Brasil: salmão, peixe branco tostado com limão e tarê, atum, camarão, olho de boi (que é um tipo de peixe, rs), bonito, uni e mackerel. Eu experimentei quase todos, mas esses eram os que eu acabava comendo mais. Porém, o que eu mais amei não tem aqui, que é um sushi coberto com maionese e camarão batidos! A maionese japonesa é incrível, então a textura era deliciosa. Todos os dias eu comia pelo menos uns 6 sushis desses! Já um que eu achei que seria delicioso, mas não curti muito foi o de carne de cavalo. Ele é bem bonito, mas não é muito gostoso.

Eu acho que as principais diferenças entre os sushis servidos em restaurantes populares brasileiros e os servidos em restaurantes também populares no Japão são:

  • Tamanho: o de lá pra eu colocar inteiro na boca era meio difícil sabe? Rolava um momento fofão, porque eles são grandes.
  • Arroz: aqui alguns restaurantes deixam o arroz muito doce e muito ácido, né? Lá essas qualidades são muito equilibradas com o sabor do arroz, não ficam tão evidentes.
  • Peixe: pra mim a parte mais diferente e deliciosa do sushi do Japão é que o peixe vem bem mais grosso e ele é bem mais macio também, mas a maciez eu não sei porque é tão diferente. O Kinu (clique aqui para ver a resenha) é o único restaurante que eu já fui aqui em São Paulo em que o peixe também é muito macio, igual ao do Japão, mas eu nunca comi o sushi lá, só o sashimi, então não sei se é tudo igualzinho. Muitos dos sushis que eu comi no Japão tinham a fatia de peixe grossa como um dedo, era incrível! Isso sem falar no frescor, né? Com certeza eu fiz as melhores refeições da minha vida nessa viagem.

Com exceção do de cavalo, todos os que eu citei costumam estar, na maioria dos restaurantes, no pratinho de cor mais barata, então é muito fácil fazer uma refeição de sushis sem gastar muito. Pra vocês terem uma ideia, eu e o Raoni em uma refeição normal (de ogros) costumávamos pedir uma média de 15 pratinhos de sushi, cada um vem uma dupla, então são 30 sushis bem grandes e gostosos. Nisso a gente gastava mais ou menos 2.500 ienes, dependendo da cor dos pratinhos que a gente pegava, até menos! Isso dá um pouco mais de R$ 50… Pra um almoço de duas pessoas com comidas deliciosas e fartura é um preço excelente, né?

A gente amou tanto, mas tanto esse restaurante, que às vezes a gente ia em algum lugar diferente jantar, pra experimentar outros tipos de prato, mas a gente evitava comer demais, pra conseguir comer pelo menos uns 4 sushis cada um no Daiedô antes de dormir hahahaha. Viciados, né? Nós fomos em mais uns 6 restaurantes de sushi de esteira, que eles chamam de kaiten sushi, mas no fim esse foi o favorito mesmo! Ainda hoje, aqui no Brasil, lembramos das refeições que fizemos lá quase todos os dias. Quando a gente vai em restaurantes japoneses aleatórios aqui em São Paulo então, a gente quase chora com a comparação hahahaha. A parte boa de ir pro Japão se você gosta de comida japonesa é que você vai comer as melhores coisas da sua vida… Mas a parte ruim é que na volta vai ser difícil ir em um rodizio japonês baratinho qualquer e ficar feliz.

Pronto! Acho que consegui dar uma das dicas mais valiosas da minha viagem e com isso entrei em depressão hahahaha. Fiquei um tempão andando nas ruas de Shinjuku, que foi o bairro que me hospedei, pra poder encontrar o endereço no google street view. Deu uma saudade, sabe? Muito grande mesmo, espero poder voltar lá um dia, vou me esforçar muito pra isso. Espero que tenham gostado, mil beijos e até amanhã <3

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube – Viber

Quanto custa viajar para o Japão?

Ano novo, vida nova, posts novos no blog! Já faz um tempinho que eu estou planejando novas temáticas para abordar aqui, mas como gosto de datas e marcos, resolvi aproveitar o ano novo para começar… E de quebra responder uma pergunta que muitos fazem: quanto custa viajar para o Japão?

Uma coisa que eu aprendi ano passado é a fazer as contas, em todos os aspectos da minha vida. Sei que muita gente acha isso chato, cansativo, confuso e até desanimador, mas descobri que a maioria das coisas que a gente quer fazer muitas vezes são mais baratas do que imaginamos e principalmente, que é muito mais fácil se planejar quando temos uma meta a bater e que é muito mais fácil (e até legal!) juntar dinheiro quando a gente sabe exatamente quanto custa o que a gente quer realizar. Então resolvi ir atrás e calcular quanto gastaria para realizar vários sonhos que eu tenho e que aposto que muitos de vocês têm também, daí o resultado dessas continhas e de todos os planejamentos, vocês podem ver aqui no blog toda segunda-feira. Inicialmente vou postar quanto custa coisas que realizei recentemente, como a minha viagem ao Japão e à Coréia, mas se vocês tiverem dicas, sugestões ou projetos mais ambiciosos para eu orçar, por favor me avisem, sugestões são muito bem vindas e no fim das contas, por mais que eu ame planejar e orçar coisas que quero fazer, pensei em posts assim justamente para animar, inspirar e mostrar para vocês que tudo é possível nessa vida, então espero que gostem <3

Eu já falei em um vídeo quanto custou a minha viagem pro Japão e para a Coréia, mas muitas são as dúvidas a respeito disso e esses valores podem flutuar de acordo com alguns fatores que explicarei, então resolvi separar as viagens e orçar separadamente pra vocês, quanto custa fazer cada uma das viagens e quanto eu paguei para fazê-las. Claro que você pode conseguir uma superpromoção e fazer coisas incríveis com menos dinheiro, da mesma forma que você pode querer ficar em hoteis 5 estrelas e daí o meu mízero orçamentinho não dá nem pra 5 dias… Os valores que eu vou passar são referentes a uma viagem de classe média como a que eu fiz, que tenta economizar o máximo que dá, mas também não dorme em hostel e não abre mão de conhecer lugares legais e comer coisas gostosas, então reflita sobre as suas expectativas e condições financeiras depois de ver o meu cálculo.

Eu já postei o roteiro da minha viagem no blog (clique aqui para conferir), mas ao todo passei no Japão 19 dias, me hospedei em Osaka e em Tóquio, mas conheci outras cidades próximas fazendo bate e volta, o que foi bem prático e barato! Eu decidi fazer essa viagem em junho, portanto tive quase 3 meses para planejar tudo e achei o timing ótimo, deu tempo de fazer todos os roteiros, pesquisar atrações turísticas, tirar o visto e comprar a passagem com uma antecedência legal para conseguir descontos, aliás… Essa é a parte mais importante na hora de planejar os gastos com a sua viagem!

Passagem: eu comprei nossas passagens para o Japão durante um jogo do Brasil na copa do mundo, mas fiquei duas semanas pesquisando os melhores preços e condições dentro do nosso perfil. Como eu não tenho visto americano e não queria ter que lidar com mais uma burocracia para planejar a viagem, precisava de um voo com escalas no oriente médio ou algum outro lugar de trânsito livre para brasileiros. Tivemos sorte e conseguimos gastar exatos R$ 3056 por passagem, com taxas inclusas, pela Qatar Airlines, que é uma das melhores companhias aéreas do mundo. O nosso voo fez escala no Qatar, que além de ter um aeroporto lindo, confortável (ficamos 8 horas lá moscando)  e com internet wi-fi grátis de ótima qualidade, ainda não pede nenhum visto desde que você não saia para conhecer a cidade. Hoje em dia está praticamente impossível conseguir esse preço em duas passagens, porque o dólar subiu muito, então vale a pena pesquisar bastante e ficar de olho em promoções… Geralmente quem tem visto americano e pode fazer escala por lá consegue bons preços! Eu tenho pesquisado passagens para o Japão recentemente e o melhor preço até agora é R$ 3700 sem taxas por pessoa.

Visto: se tem a parte chata de ser meio burocrático demais, uma coisa ótima do visto japonês é que ele é bem baratinho e você só paga se realmente for aprovado… Mas se você for recusado também, perde um dinheirinho com cancelamentos de passagens, hotéis e outras coisas, afinal só dá pra dar entrada no visto depois te ter toda viagem planejada! A taxa consular é de R$ 65 para uma única entrada e caso você queira fazer como eu e conhecer outros países, mas retornar ao Japão no fim da viagem, precisa pedir mais uma entrada, que sai por R$ 130.

Hotéis: eu já fiz um post mostrando todos os hotéis que ficamos durante a nossa viagem, com preços, fotos dos quartos e todos os outros detalhes (clique aqui para ler). São hotéis 3 estrelas em regiões de fácil acesso, em Tóqui, por exemplo, para mim era importante ficar num raio de 1,5km da estação principal de Shinjuku da linha JR, mas se você não tiver essas frescuras, pode conseguir preços bem melhores! Para 5 dias de hospedagem em quarto de casal em Osaka gastamos R$ 510. Já em Tóquio gastamos R$ 2230 para 13 noites em quarto de casal… Mas em outros bairros dá pra conseguir 13 diárias de casal por até R$ 1292! Então vale a pena pesquisar bastante em sites como booking.

Transporte: se tem uma coisa que pode ser surpreendentemente cara no Japão é transporte, como metrô, trens ou o famoso Shinkansen, que é o trem bala! Muito se fala a respeito do Japan Rail Pass e eu ainda farei um post só sobre ele, explicando mais sobre como funciona, quando vale a pena e quando não vale. No meu caso, só valia a pena utilizá-lo no período que fizemos viagens intermunicipais, já que dentro das cidades a passagem é mais barata e a gente anda muito a pé. Eu fiz as contas minuciosamente, dá pra ver no meu roteiro, então se você quer economizar ao máximo, faça as contas também! Compramos o Japan Rail Pass de 7 dias e ele saiu por R$ 630 (para uma pessoa). Para transportes que não seriam cobertos pelo JRPass eu calculei mais R$ 412 por pessoa, mas no fim das contas acho que dá pra colocar esse gasto dentro da verba da comida, se você não quiser comer coisas caras o tempo todo e conseguir se organizar para economizar nas refeições.

Gastos diários (alimentação e entradas): se tem um lugar totalmente democrático na hora de comer, definitivamente é o Japão! Existem opções muito gostosas de todos os tipos de comida, por todos os preços. Então quem não come peixe cru vai conseguir opções bem legais por ótimos preços, mas quem não abre mão de um delicioso sushi (como eu!) também vai poder comer bem sem gastar muito. Eu calculei R$ 100 por dia por pessoa para gastar com isso, porque era uma coisa que eu realmente não tinha muita noção… E como eu amo comer e esse é um dos principais atrativos de viagens para mim, não poderia faltar verba para experimentar tudo o que eu quisesse, né? Acho que esse calculo foi o que fez sobrar dinheiro pra mim na viagem, porque mesmo quando a gente comia coisas mais caras e fingia que o restaurante de sushi era rodizio, cabia na nossa verba com folga… Folga essa que foi toda gasta na H&M, como vocês podem ver nos videos de comprinhas hahahaha. Não fui em nenhum restaurante chique, mas comi bem todos os dias, ainda experimentei muitos doces e bebida coisas a cada 30min, porque estava muito calor e andávamos muito. Ao todo levamos cada um R$ 2000 para gastar com alimentação e pagar entradas para atrações turísticas, que não são muito caras por lá, foi ótimo! Mas se você não se liga tanto em comida e quer economizar, acho que dá pra tomar café da manhã na loja de conveniência (tem delicias lá!) + almoçar em um restaurante de gyudon + fazer um lanche da tarde (ou comer mais gyudon) + jantar em lugares econômicos (tipo comer 10 peças de sushi no restaurante de esteira) por R$ 60 o dia. O negócio é você gostar de gyudon, porque lá esse tipo de comida é muito barata, tem uma váriedade de combinações gostosas, muitos restaurantes por todos os lados e alimenta bastante para um dia de caminhadas!

Compras: isso vai de acordo com as possibilidades e vontades de cada um, né? Eu tava achando que nem ia comprar nada por lá (só uma câmera nova que eu tava precisando e já tinha planejado), no máximo uns souvenirzinhos e mesmo assim já fui viajar feliz da vida! Chegando lá me surpreendi, tudo era mais barato do que eu imaginava e meu dinheirinho acabou sobrando pra me jogar nas compras, mas se não tivesse dado pra fazer isso a viagem teria sido incrível da mesma forma! Não vou colocar valores para essa categoria, cada um gasta o que pode, mas se você quiser ter uma ideia de quanto as coisas custam, vale a pena dar uma olhada nos meus videos de comprinhas… Eu falo o preço de tudo!

Depois de avaliar todos esses tópicos fica fácil saber quanto custa pra realizar o sonho de ir ao Japão, né?! Hoje em dia, se eu fizesse exatamente a mesma viagem, por causa da variação no preço da passagem por causa do dólar eu gastaria mais ou menos R$ 10.000. Mas se eu conseguisse pagar o preço que eu paguei na passagem quando comprei (em alguma promoção, talvez…) e optasse pelas soluções mais baratinhas que eu sugeri aqui, daria pra fazer uma viagem de 20 dias gastando a partir de R$ 7500! Como eu disse no começo do post, esses são valores que podem variar, tudo depende da cotação das moedas, da data da sua viagem e de quais são os seus objetivos quando conhece um lugar novo. Mas com os valores orçados já dá pra sonhar, né? E principalmente, começar a planejar pro sonho se tornar realidade! Espero que tenham gostado do post, se vocês tiverem dicas sobre o tema ou quiserem sugerir novos assuntos para o ano de 2015 aqui no blog, por favor deixem nos comentários <3

Me acompanhe nas redes sociais:

Facebook – Instagram – Youtube – Viber